quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Congelamento de corpos para ressurreição


A Espanha anunciou ter planos para a criação de um Cemitério-Laboratório Ibero-Americano de Criopreservação, onde os corpos poderão ser congelados com o intuito de se descobrir meios de ressuscitá-los.
Localizado na serra de Madrid, o espaço contará com laboratórios de investigação científica, armazéns de materiais biotecnológicos, bancos de ADN, um centro de conferências e um hospital para doentes em fase terminal.
O cemitério, ainda sem data para a sua construção, terá capacidade para receber 500 corpos e custará cerca de quarenta milhões de euros, financiado por interessados de alto poder aquisitivo, segundo Francisco Roldán, diretor da recém-criada Associação Ibero-Americana de Criopreservação, entidade que reúne quase 100 médicos.
"Ficção científica? Se quiserem chamar assim, pois que chamem. Há milhares de anos atrás os homens sonhavam voar e não imaginavam que um dia o faríamos num avião", disse Roldão à BBC Brasil. "Hoje ressuscitar pode parecer a mesma utopia. Mas quem pode limitar os avanços da ciência?", acrescentou.
O investimento, sem garantias, custará cerca de 60 mil euros por cadáver. É o preço para ter o corpo congelado sob uma temperatura de 196 graus abaixo de zero num caixão de alta tecnologia industrial.
O cadáver é conservado numa espécie de urna de aço com um gerador de nitrogênio líquido projetado pelo engenheiro da associação, Alberto Sarmentero, que afirma ser "capaz de manter o corpo em bom estado durante aproximadamente um século".
Mesmo sem garantias nem bases científicas que comprovem que a ressurreição é viável, os quase cem médicos da associação já têm tudo o que precisam para criar o futuro cemitério-laboratório."

Fonte:
Correio da Manhã

É espantosa a contínua tentativa humana em ser Deus, pois isto é reclamar uma prerrogativa divina: a autoria ou manutenção da vida.
Ao mesmo tempo, repare como o plano da salvação é colocado de lado com estas tentativas humanas de perpetuar a vida: se o homem adquirisse conhecimento para ressuscitar uma vida, até parece que não se tornaria necessário o sacrifício de Jesus para restaurar a vida que a humanidade perdeu por sua escolha.
Disse parece, porque, na realidade, torna-se sim necessário - mesmo que este esforço um dia desse resultado, a vida humana seria recuperada para um retorno à desgraça e doença do pecado, da dor e do sofrimento.
O meu conselho é o seguinte: leiam a Bíblia e percebam como é que a verdadeira ressurreição funciona, e Quem, com toda a certeza, a pode fazer. Ah, e não apenas para os "interessados de alto poder aquisitivo", mas para todas as pessoas...

Filipe Reis –
O Tempo Final

Agora é o tempo!


 

“Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim;
muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará.” Daniel 12:4

O capítulo 12 de Daniel nos revela que estamos no limiar da eternidade. Ele aponta para o período da História anterior à segunda vinda de Cristo. Este é o tempo em que as cortinas da história do nosso planeta serão fechadas, e Deus fará o acerto de contas com a humanidade.

Agora é o tempo!

O agora de Deus é diferente do agora do homem. O agora de Deus é o agora do amor, da paciência e da longanimidade. Não o agora imediato, do momento, do agora segundo os critérios humanos, mas um agora que significa um período suficiente para que todos tenham a oportunidade de se prepararem para o encontro com o Senhor. A verdade, porém, é que, em algum momento desse espaço de tempo, que é o agora de Deus, Jesus voltará.

Agora é o tempo em que o povo de Deus deveria atender ao chamado para um verdadeiro e genuíno arrependimento e ao abandono de todas as formas de pecado. Se existe ainda algum pecado não confessado, escondido em nosso coração, estamos novamente crucificando o Senhor Jesus na cruz da nossa indiferença e ingratidão. Portanto, agora é o tempo de um sincero arrependimento.

Agora é o tempo de tomar novas decisões por Cristo. Jesus deve ser levado em conta em todas as atividades de nossa vida: nas recreações, nas leituras, nas companhias que escolhemos, nas músicas que ouvimos, nos ambientes que freqüentamos, no namoro, no casamento, nos passeios, nos programas de televisão que assistimos, ao "navegarmos" pela internet, na faculdade, no trabalho; enfim, tudo o que fazemos deve ser feito à luz dessa relação com Cristo.

Agora é o tempo de renovarmos o hábito da leitura e estudo da Bíblia. Agora é o tempo para orações fervorosas e sinceras!

Agora é o tempo de tornar nosso lar um lugar de louvor a Deus, onde possamos oferecer diariamente a Ele a vida, por meio de orações, sinceridade e pureza de coração. Isso está ao seu e ao meu alcance.

Agora é o tempo de não perdermos tempo!

Fonte:
Diário da Profecia

Sexo: elas se apaixonam, eles ficam viciados


Sexo é um dos assuntos mais interessantes que existem. Todos gostam de falar sobre ele e de fazê-lo, e o assunto sempre causa arrepios, dores de cabeça e confusão. Mas os cientistas não sabiam, até pouco tempo, o que acontecia exatamente com o cérebro durante a atividade sexual. Todavia, pesquisadores da universidade norte-americana Rutgers descobriram que 30 diferentes áreas cerebrais são ativadas durante o orgasmo, segundo noticiou o jornal britânico Daily Mail desta terça-feira (30). Dois minutos após o ápice sexual, o cérebro ativa áreas relacionadas a recompensas, segundo notaram os cientistas. A pesquisa, que contou apenas com mulheres, destacou que o cérebro feminino ativa pontos do sistema nervoso que bloqueiam a dor, assim elas sentem apenas prazer. Sabe-se também que durante o ato sexual há muita ocitocina envolvida, e este é o hormônio "do amor", que nos faz confiar nas pessoas e que diminui nossas defesas, como lembrou o especialista em saúde sexual Arun Ghosh. Como as mulheres produzem mais desse hormônio, tornam-se mais propensas a se apaixonar - principalmente depois do sexo.

Diferentemente delas, os homens recebem apenas uma descarga de prazer com o orgasmo. "O principal hormônio envolvido no prazer masculino é a dopamina, que pode ser viciante", contou o médico, justificando por que muitos homens sofrem de compulsão sexual.

Manter uma vida sexual ativa e regular pode trazer outros benefícios à saúde. Segundo cientistas da Universidade de Princeton (EUA), o sexo pode ajudar no nascimento de células cerebrais que, tradicionalmente, morrem conforme envelhecemos. Por melhorar a oxigenação cerebral, o sexo ajuda na prevenção da demência.

O orgasmo também pode ser um analgésico natural, pois bloqueia a transmissão de estímulos dolorosos pela espinha, e os hormônios envolvidos no ato sexual ajudam a prevenir a depressão e melhoram o sono.

(
Terra)

Nota: Para os darwinistas, o sexo foi “inventado” (ou surgiu) para garantir a mistura dos genes de dois espécimes, o que seria benéfico para a prole. Mas o que dizer de todas essas vantagens adicionais apontadas na matéria acima? Um plus da evolução? O que dizer dos aspectos bioquímicos envolvidos, com hormônios específicos que promovem a união do casal? É significativo o fato de que a mulher foi projetada para amar o parceiro e não apenas desfrutar o chamado “sexo casual”. Por isso tantas mulheres ficam emocionalmente feridas quando tentam viver de acordo com os ditames de uma sociedade pervertida. Por sua vez, o homem foi criado para ficar “viciado” em sua companheira. E se for fiel à sua esposa, o homem ficará
cada vez mais viciado nela. É interessante notar que a recomendação bíblica parece levar em conta essas peculiaridades de gênero: “Como, porém, a igreja está sujeita a Cristo, assim também as mulheres sejam em tudo submissas ao seu marido. Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a Si mesmo Se entregou por ela” (Efésios 5:24, 25). A ordem de amar é dada ao homem, não à mulher, que, ao que tudo indica, é bioquímica e emocionalmente mais vocacionada ao amor. À mulher é dada a ordem da submissão a um homem que seja capaz de dar a vida por ela, como Jesus morreu pela igreja. No verso 22 é dito que essa submissão deve ser “como ao Senhor”, ou seja, a alguém que a ame como o Senhor: total e fielmente.
 
Fonte :O Criacionismo

Como se tornar uma mulher irresistível


Ontem publiquei aqui uma síntese de um dos capítulos do livro “Ela precisa, ele deseja”, de Willard F. Harley, sobre o homem irresistível. Hoje, conforme prometido, como uma mulher pode tornar-se irresistível para o marido, satisfazendo as suas cinco necessidades emocionais básicas mais importantes. Vamos lá, então?

1 – Realização sexual. A esposa satisfaz esta necessidade quando se torna uma parceira sexual extraordinária. Ela estuda suas próprias reações sexuais, a fim de conhecer e entender o que melhor se apresenta nela e, em seguida, compartilha com o marido essa informação. Juntos, eles passam a ter um relacionamento sexual em que ambos encontram repetidos momentos de prazer e realização.

2 – Companheirismo. Ela se interessa pelas atividades de lazer que ele aprecia e tenta ser eficiente nessas atividades. Se ela conclui que não consegue sentir prazer nessas atividades, pede ao marido que considere outras atividades em que eles possam participar juntos com satisfação. Ela se torna a sua companhia favorita nas atividades de lazer e ele a associa a seus mais prazerosos momentos de relaxamento.

3 – Atração física. Ela procura manter-se em forma com dietas e exercícios, cuida do cabelo, da maquiagem e se veste de um modo que o marido possa achar atraente e de bom gosto. Ele sente atração por ela nos momentos de privacidade, e orgulho da esposa quanto estão em público.

4 – Apoio doméstico. Ela proporciona em sua casa um ambiente que representa um refúgio para o marido diante dos momentos estressantes da vida diária. Ela administra as responsabilidades da casa de um modo que o incentiva a passar mais tempo no lar junto com a família.

5 – Admiração. Ela compreende e aprecia o marido mais do que qualquer pessoa. Sempre conversa com ele sobre o seu valor e suas realizações, e o ajuda a manter a autoconfiança. Evita criticá-lo e se orgulha dele, não por submissão, mas por um profundo respeito pelo homem que escolheu como seu marido.

Quando um homem encontra uma mulher que demonstra todas as cinco qualidades, ele a achará irresistível. Mas, novamente, cuidado: se uma mulher supre apenas quatro das cinco necessidades básicas de seu marido, ele experimentará um vazio que poderá gerar problemas. Como deve acontecer com o homem, a mulher precisa tentar satisfazer as cinco necessidades básicas de seu marido. Sentir-se realizada ao suprir apenas três ou quatro dessas necessidades não fará de você uma mulher totalmente irresistível.

(Ela Precisa, Ele Deseja – Willard F. Harley, Jr. –
Editora Candeia)

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Alerta para eventual ressurgimento da gripe das aves



A agência da ONU para a Agricultura e a Alimentação (FAO) recomendou hoje "uma vigilância reforçada" do vírus da gripe das aves, num momento em que uma estirpe mutante do vírus H5N1 foi identificada na Ásia.
"O último caso mortal ocorreu no início do mês no Camboja, onde foram registados este ano oito casos de infeção humana, todos mortais", referiu a FAO num comunicado divulgado em Roma (sede da organização).
Na nota, a mesma agência das Nações Unidase evocou "os riscos imprevisíveis [do vírus] para a saúde humana", admitindo um eventual ressurgimento de um novo surto da doença.
Desde 2003, ano em que foi identificado o primeiro caso, 565 pessoas foram infectadas pelo vírus H5N1, das quais 331 não resistiram e morreram, recordou a FAO, citando dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).
A presença do vírus obrigou também as autoridades a abaterem mais de 400 milhões de aves em todos o mundo desde 2003.
A erradicação do vírus, que chegou a afectar 63 países em 2006, o apogeu da epidemia, provocou prejuízos na ordem dos 20 mil milhões de dólares (cerca de 13 mil milhões de euros) em todo o mundo.
A FAO informou agora que os surtos de gripe das aves têm vindo a aumentar desde 2008, ano que marca o início de uma nova expansão geográfica do vírus H1N5, tanto em aves selvagens como em aves domésticas.
"As aves selvagens podem introduzir o vírus, mas a actuação das pessoas ao nível da produção avícola e da respectiva comercialização pode determinar a sua propagação", referiu o chefe de veterinários da FAO, Juan Lubroth, que responsabiliza os fluxos migratórios das aves pelo ressurgimento do H5N1 nos últimos 24 meses em países que estavam livres do vírus há vários anos.
Segundo Lubroth, outro motivo de preocupação é o aparecimento na China e no Vietname de uma variante do vírus que é aparentemente capaz de "desviar" as defesas que fornecem as actuais vacinas.
Os serviços veterinários do Vietname estão em estado de alerta, uma vez que a propagação desta variante do vírus poderá representar uma ameaça directa para outros países, como o Camboja, a Tailândia, a Malásia e o Japão.
"A tendência geral desde o declínio progressivo do vírus observado entre 2004 e 2008 poderá significar o desenvolvimento de um novo surto do H5N1 neste outono ou inverno", concluiu Juan Lubroth.

Fonte: A Grande Controvérsia

Conheça mais sobre a gelatina


A gelatina é uma substância inodora e transparente, que se extrai de diversos órgãos e tecidos de animais. A gelatina que consumimos é extraída do colágeno, encontrado no couro ou nos ossos de animais, como o porco ou o boi. Depois de extraído, o colágeno passa por um processo químico para retirar impurezas e gordura. Na culinária, fazemos verdadeiras delícias com essa substância, que também é nutritiva e saudável.


Hoje, no Brasil, são produzidas anualmente cerca de 6 mil toneladas de gelatina a partir da pele do suíno.

Um nicho da suinocultura que é pouco divulgado é o da utilização da pele do animal para a produção de gelatina. Mais do que um produto, a gelatina é um ingrediente muito aplicado pela indústria alimentícia na elaboração de iogurtes, balas e produtos dietéticos. Já a indústria farmacêutica utiliza a gelatina suína para a produção de cápsulas de remédios e de produtos cosméticos. Sua aplicação também está presente no segmento fotográfico, onde a gelatina é comumente utilizada na revelação dos filmes. De acordo com Paulo Reimann, presidente da Gelita do Brasil, hoje são produzidas anualmente no País cerca de 6 mil toneladas de gelatina a partir da pele do suíno. “Além da própria gelatina, a pele suína é destinada para a produção de pururuca e emulsões para embutidos como mortadelas, salsichas, patês e lingüiças”, explica. “A história da gelatina remonta séculos, sendo produzida a partir de couro bovino e suíno”. Segundo Reimann, o principal destino da gelatina suína produzida pela empresa é para a confecção de cápsulas e de gomas tipo confeito.

A exploração do couro suíno pela indústria no Brasil ainda é muito baixa. Apenas 0,2% do total de animais abatidos tem a pele destinada para o curtimento. “Não existe um cuidado diferenciado nas granjas de suínos para a extração da pele no animal. Os cuidados da suinocultura moderna visam o suíno como um todo”, diz Reimann. “No entanto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento impõe algumas exigências para a utilização da pele do suíno na transformação de gelatina como: somente são permitidas peles oriundas de frigoríficos com registro no SIF, cujas carcaças passaram por inspeções ante e post-mortem; que tenham rastreabilidade dos animais e de suas etapas de processamento e que mantenham rotinas de boas práticas de produção”, detalha o presidente. “Além disso, existe um outro fator determinante para o uso da pele suína na industrialização de gelatina alimentícia que é o teor de gordura presente no couro do animal, cujo limite é de 10%”.

Processamento da pele - Durante o abate dos suínos no frigorífico, as carcaças que terão a pele aproveitada passam por um processo denominado de esfola (retirada total do couro animal). “Os suínos passam por todas as etapas usuais de abate como atordoamento, sangria, escaldamento e depilação, evisceração, divisão da carcaça, esquartejamento e desossa. A esfola é realizada no momento em que ocorre o esquartejamento do animal na linha de processamento”, esclarece Paulo Reimann. Segundo o presidente da Gelita, de uma carcaça suína normal podem ser retirados, em média, 5,5 kg de pele. “O preço do quilo da pele suína para fabricação de gelatina alimentícia gira em torno de R$ 0,95, incluídos os impostos”.
Gelatina para sobremesa
Da pele bruta para a gelatina, a matéria-prima passa por várias etapas de industrialização. “É uma série de operações unitárias que vão desde a hidrólise do colágeno, a purificação da matéria-prima, concentração e secagem”, comenta o presidente. Segundo ele, os frigoríficos já fornecem a pele separada a partir da camada subjacente de gordura. Dessa forma, a pele do suíno pode ser transportada em estado fresco, refrigerado ou congelado, dependendo da distância a ser percorrida. “Se necessário, a matéria-prima pode ser estocada em armazéns refrigerados até a sua utilização”. Paulo Reimann explica que para a produção de gelatina suína, a pele do animal sofre um pré-tratamento ácido por três dias antes de ir para a etapa de extração, onde recebe água quente e passa por um processo de extração de múltiplos estágios. A solução de aproximadamente 5% de gelatina obtida no processo de extração passa, então, por filtros de alta performance que retiram todo e qualquer resíduo de gorduras e fibras. A pré-purificação é então completada através de filtros. Na seqüência, evaporadores a vácuo são usados para esterilizar a solução de gelatina e ao mesmo tempo remover, gastando um mínimo de energia, a água da solução diluída, e concentrar a gelatina até que esta atinja uma consistência de mel. Com a ajuda de um esterilizador de alta temperatura, a solução de gelatina altamente concentrada passa por mais uma esterilização de segurança. Os passos seguintes são, então, refrigeração e soli-dificação. Neste último processo a gelatina é “extrusada” e ganha a forma de “espaguete”, sendo distribuída uniformemente sobre a esteira de secagem. O ar usado para secagem é filtrado, lavado, desumidificado e descontaminado. Na saída do túnel de secagem, a gelatina é quebrada e moída em partículas de tamanho uniforme. “Estes são os passos finais, porém muito importantes do processo, pelos quais a gelatina é preparada para aplicações particulares ou para requerimentos específicos do cliente final”, explica Reimann.

Mercado - Uma das maiores fabricantes de gelatina animal do mundo, produz no Brasil 22 mil toneladas do produto ao ano, originárias de pele suína e bovina. “Cerca de 80% da nossa produção vão para o mercado internacional”. Segundo ele, no mercado mundial o crescimento do consumo de gelatina é de 4% ao ano, impulsionado pela crescente demanda da indústria alimentícia e da indústria farmacêutica. “No Brasil, prevemos um incremento de 15% no consumo de gelatina animal em 2005, o que significa uma produção adicional de 8 mil toneladas”.

Gelatina comestível
A gelatina comestível é um alimento natural. As matérias-primas utilizadas para sua fabricação são peles (suína e bovina) e ossos que provêm de animais abatidos e aprovados para o consumo humano. A proteína (colágeno) contida nas peles e nos ossos representa a verdadeira matéria-prima para a fabricação de gelatina. Gelatinas comestíveis disponíveis comercialmente possuem a seguinte composição:

84 - 90% proteína

8 - 12% água

2 - 4% sais minerais

Elas não contêm carboidratos, gorduras, colesterol ou purina e são livres de qualquer tipo de conservantes. Todas as gelatinas comestíveis estão integralmente de acordo com os padrões bacteriológicos exigidos.


Uma resposta capturada da internet:

Como já disseram, gelatina é de origem animal (couro, ossos, tendões). Portanto, um animal precisa ser morto pra que as pessoas comam gelatina, e por isso vegetarianos passam longe disso. Todas as gelatinas “tradicionais”, tem essa origem.
Gelatina de algas recheada de maça e hortelã sem corantes
Ágar-ágar é a gelatina de algas, mas a comercialização é bastante restrita. Há muitos anos até existia no mercado uma marca chamada “Pronto”, mas infelizmente a fábrica fechou. Atualmente, só se encontra em lojas de produtos japoneses, e pode ser conhecida como Kanten.
E, só esclarecendo: vegetarianos em geral não comem gelatina, pois provém da morte direta de um animal. Veganos deixam de comer não só o que advém da morte como o que advém da exploração, incluindo os itens não alimentares, como leite, ovos, pêlos, peles, couros, filmes fotográficos que levam gelatina, etc.


Comentário: O interesse do blog não é que as pessoas parem de comer gelatina por conta da origem animal, mas sim, conscientizar da origem da mesma. Até porque continua perfeitamente possível consumir gelatina de algas, que é de origem vegetal, e é fornecida como sobremesa em muitos restaurantes vegetarianos. Desta forma não é preciso abandonar esta prática e deliciosa sobremesa.
O blog também informa que na maior parte dos textos encontrados, é dada enfase, de que o processo é totalmente higiênico e seguro a saúde humana, ou seja, cabe somente a cada um julgar se consumirá ou não, pois por motivo de contaminação e intoxicação, não perece haver riscos.

Porcos em abate
Para os que não consomem carne de porco ou mesmo são vegetarianos, é necessário buscar informações em fontes especializadas, para saber se consumir uma gelatina feita a base de colágeno de porco, é a mesma coisa que consumir algum derivado, como presunto de porco.
Aos que não comem carne não só por motivos de saúde, mas também ambientais e de proteção aos animais, só é preciso confirmar a idoneidade dessas informações, em outras fontes possíveis, além de saber que alguns corantes também são de origem animal, mais precisamente um tipo de inseto conhecido como Corante de Cochonilha.

 
Fonte: Advius

Como se tornar um homem irresistível

Não sei se você já leu “Ela precisa, Ele deseja”. Um livro que ensina como se apaixonar e continuar apaixonado dentro do relacionamento do casamento. Um dos capítulos “De incompatíveis a irresistíveis”, eu destaco para você, na postagem de hoje, como qualquer marido pode se tornar irresistível para sua mulher, suprindo as cinco necessidades emocionais mais importantes da esposa.
1 – Afeto. O marido diz à mulher que a ama através de palavras, cartões, flores, presentes e gentilezas comuns. Ele a abraça e a beija muitas vezes todos os dias, proporcionando um ambiente de afeto que, de forma clara e repetida, expressa o seu amor por ela.
2 – Diálogo. Ele reserva um tempo diário para conversar com ela. A conversa pode ser sobre fatos de suas vidas, sobre seus filhos, seus sentimentos ou planos. Seja qual for o assunto, ela terá prazer na conversa porque esse momento nunca deve ser usado para criticar ou condenar, mas sempre para informar e construir. Ela conversa com o marido tanto quanto desejar e responde com interesse. Ele nunca deve estar ocupado demais “só para conversar”.
3 – Honestidade e franqueza. O marido conta para a mulher tudo a seu respeito, não omitindo nada que possa surpreendê-la mais tarde. Ele descreve para ela seus sentimentos positivos e negativos, fatos do seu passado, sua agenda diária e seus planos para o futuro. Ele nunca a deixa com uma falsa impressão e é sempre sincero com relação aos seus pensamentos, sentimentos, intenções e comportamento.
4 – Estabilidade financeira. Ele assume a responsabilidade pela casa no que se refere à alimentação e ao vestuário da família. Se sua renda não é suficiente para proporcionar o suporte essencial, ele resolve o problema buscando melhor capacitação para melhorar seu salário. Ele não mantém uma jornada de trabalho muito longa para não ficar tanto tempo longe de sua esposa e filhos, mas é capaz de providenciar o sustento necessário, trabalhando uma média de quarenta e cinco horas semanais. Apesar de incentivar a esposa a ter uma profissão, ele não depende do salário dela para as despesas da família.
5 – Compromisso com a família. Ele se compromete a dedicar tempo e energia suficientes para participar do desenvolvimento educacional e moral de seus filhos. Conta histórias para os filhos, envolve-se em atividades esportivas e os leva frequentemente para passear. Lê livros e participa com sua esposa de palestras sobre o desenvolvimento infantil, de modo que ambos venham a desempenhar bem o papel da orientação de seus filhos. Os dois discutem os métodos e objetivos da educação até chegar a um acordo. Ele não usa nenhuma forma de disciplina sem a aprovação da mulher, e entende que o seu cuidado com as crianças é decisivamente importante para ela.
Quando uma mulher encontra um marido que demonstra todas as cinco qualidades, ela vai achá-lo irresistível. Mas cuidado: se ele apenas exibir quatro dessas qualidades, ela ainda experimentará um vazio que persistente e incessantemente clamará por preenchimento. Quando o assunto é suprir as cinco necessidades básicas, quatro não são suficientes. Cada marido deve tentar satisfazer as cinco necessidades especiais da sua esposa.

Fonte:Amilton Menezes

UFC e MMA - O cristão e os esportes violentos

 

Em seu blog, o jornalista Milton Neves escreveu, referindo-se ao grande evento de MMA realizado no último fim de semana, no Rio de Janeiro: “Os gladiadores de Roma voltaram? Naquela época escravos como Spartacus lutavam na marra e morriam como bois nas touradas espanholas. E as multidões antigamente também não adoravam ver leão comendo cristão? Hoje multidões no ginásio e milhões pela TV entram em êxtase aplaudindo o mais violento NÃO esporte já inventado pelo homem. Rugby, futebol americano e hóquei no gelo parecem curling ou dança de quadrilha perto desse terrível MMA. E quem o defende diz que é ‘uma variação do boxe’! Ora, o boxe é a nobre arte com regras ‘milenares’ com o árbitro protegendo o nocauteado com sua contagem até 10. No NÃO esporte MMA a selvageria só para quando um arranca pedaço do outro”.

É claro que os praticantes e apreciadores do MMA — Mixed Martial Arts (artes marciais mistas) —, inclusive evangélicos, ficaram enfurecidos com a opinião do polêmico Milton Neves. Já os que não gostam do mencionado esporte (esporte?) aplaudiram o aludido cronista esportivo. Quem está com a razão? Deve o cristão apreciar ou praticar esportes violentos? O que a Bíblia diz sobre a prática esportiva?

Esportes existem desde os primórdios. E a Bíblia Sagrada não apresenta nenhuma censura à sua prática. Nas relações de pecados do Novo Testamento nada há contra a esportividade. Pelo contrário, o apóstolo Paulo toma o atletismo como exemplo, ao falar do nosso trabalho para o Senhor: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis” (1 Co 9.24). Se o esporte, em si, fosse pecaminoso, Paulo jamais o tomaria como analogia de nossa carreira.

Pode o cristão praticar esporte? Por que não? A despeito de a sua prioridade ser a santificação do “homem interior” (2 Co 4.16), formado por espírito e alma (1 Ts 5.23), ele deve valorizar o corpo e cuidar dele. Daí Paulo ter dito: “o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa” (1 Tm 4.8). Portanto, a prática do esporte, de modo geral, não é pecaminosa, ainda que secundária, em relação à piedade (ou “exercício espiritual”).

Por outro lado, a despeito de o cristianismo não ser legalista, não ignora passagens como 1 Coríntios 6.12 e 1 Tessalonicenses 5.22, as quais nos ensinam que mesmo as coisas lícitas e não-pecaminosas podem ser inconvenientes para o cristão, como o MMA, por exemplo. Como assim?

Alguém poderá argumentar: “O MMA é um esporte como qualquer outro. Envolve treinamento, preparo físico, respeito ao adversário, etc.” Mas, e a violência? Os defensores dessa modalidade de luta afirmam que os atletas estão preparados para sofrer os golpes. Além disso, dizem que existe fair play (jogo limpo) entre eles.

Bem, as imagens, às vezes, falam melhor que milhares de palavras. No YouTube há vários vídeos das lutas do UFC Rio para quem quiser confirmar o que vou falar agora. Observe que todos os lutadores que venceram por nocaute socaram seus oponentes sem nenhuma piedade, mesmo depois de eles estarem caídos e grogues. Veja o caso do lutador brasileiro Shogun, que desferiu várias “marretadas” contra a cabeça do adversário. Ficou claro que o árbitro demorou a intervir...

Que esporte é esse? Será que uma pessoa caída, sem poder de reação, que sequer consegue se defender, precisa ser socada na cabeça com tanta força? A impressão que tive, ao ver o vídeo abaixo, é a de que o lutador bateria no seu oponente sem parar até a sua morte, caso o árbitro não interrompesse o combate.

Respeito quem pensa de modo diferente. Mas a minha opinião é de que o verdadeiro esporte estimula espírito de equipe, está ligado ao que é saudável e não causa ferimentos de maneira proposital. No MMA prevalece a pancadaria, a selvageria e o derramamento de sangue, remetendo-nos aos gladiadores romanos, como disse Milton Neves.

Chega de violência! Em termos de esportes, o Brasil ainda é o país do futebol, uma modalidade que, a despeito de ser viril, envolver contato físico e, às vezes, hostilidade, não prioriza a violência. Quanto ao MMA, é muita ingenuidade considerar não violentos o derramamento de sangue e o golpear da frágil cabeça humana com várias “marteladas”, não é mesmo?

Ciro Sanches Zibordi - (Título Original: Quer saber o que penso sobre o MMA?)

É errado acender velas num velório ou em outras ocasiões?

Temos que separar aqui o ato de acender velas da crendice de oferecer velas aos mortos.
O ato de acender velas em si mesmo não tem nada de errado. É apenas um costume que pode ser bem visto ou mal visto dependendo da cultura de cada um. Deve-se ressaltar que Jesus nunca ensinou que deveríamos acender velas ao orar (Mateus 6:5-15) Isto demonstra que tal atitude não é necessária.
Já o ato de acender velas para os mortos, na esperança de que eles estejam percebendo esta ação e se alegrando ou sendo beneficiados com ela – é totalmente anti-escriturístico.
E toda prática contrária a Palavra de Deus é um culto a Satanás. A Bíblia deixa bem claro que os mortos não sabem coisa nenhuma. Eclesiastes 9:5 diz que … os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma …

Fonte:
Rádio Novo Tempo

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Crianças Sensuais


Se você já tinha se chocado quando viu nas notícias a pequena Thylane, de 10 anos, em pose sensual para a revista Vogue francesa, com certeza também não se conformou ao ver esta semana imagens de meninas de 4 anos (sim, 4 anos!) posando para a marca de lingerie, também francesa,
Jour Après Lunes.
As fotos, que nos recusamos a publicá-las aqui, promovem uma coleção de lingerie destinada a meninas de 4 a 12 anos, que as exibe com um visual que remete ao mundo adulto feminino: cabelos no estilo da cantora Amy Winehouse, grandes óculos de sol e colares de pérolas.
O fato é que a publicidade chocou e repercutiu em diversos lugares do mundo. “O que é perturbador sobre a Jours Après Lunes não é apenas o fato de que a lingerie é para pessoas que provavelmente não devem ter idade suficiente para saber o que é uma lingerie, mas as fotos em seu site.” Esse é parte do texto publicado no
Fashionista.com, que trouxe a história à tona.
Mas por que cada vez mais isso se repete e com meninas? Para Cristina Carvalho, educadora e coordenadora dos cursos de especialização em educação infantil da PUC-RJ, isso é um reflexo da maneira como a figura da mulher tem sido vista na sociedade.
Muitas vezes ouvimos falar que as crianças hoje são precoces, compreendem tudo tão cedo, sabem tudo. Elas não sabem nada. São inseridas em um mundo pronto e precisam compreender conceitos, normas, regras da sociedade. E cabe aos pais mediar essa relação do filho com o mundo. “A culpa não é do computador, da novela, da internet. Para criar valores, a criança precisa de alguém que os explique”, afirma. E critica: “Eu percebo que alguns pais têm se eximido da responsabilidade que o adulto tem de cuidar disso.” Diálogo, paciência e dizer não, muitas vezes, fazem parte do educar. Dá trabalho!

 



Brincadeira x realidade


Sem ter consciência do que a maquiagem carregada, a roupa ou a pose sensual significam, a menina passa a reproduzir em seu dia a dia algo que não é bacana, mas que, para ela, é normal. A distância entre o mundo adulto e o infantil se encurta, assim como a infância. Precocemente, ela é estimulada a aceitar um comportamento a que não está preparada e pode se envolver em situações de risco amanhã.
Vale aqui reforçar que isso é completamente diferente de imitar. Se a sua filha adora colocar os seus sapatos de salto e desfilar pela casa, ou ainda vestir uma roupa sua, tudo bem. “A imitação faz parte do desenvolvimento infantil. É benéfica. Afinal, é por meio do brincar com base na imitação que ela está conseguindo compreender as coisas do mundo”, conta Cristina. O problema é quando isso deixa de ser brincadeira.
Na educação dos filhos, como você já sabe, é preciso estar junto e lidar o tempo todo com o bom senso e olhar atento em suas vidas, para que, mais tarde, eles possam fazer suas escolhas. Mas em situações como essa a responsabilidade vai além dos pais. “Nós adultos precisamos nos perguntar se é isso que queremos para o mundo. Não dá para achar normal atitudes assim”, diz a educadora.
A psicóloga da Rede Novo Tempo Thais Souza comentou o assunto, ouça:


Fonte: Rádio Novo Tempo

O que não vestir


 Em 1 Timóteo 2:9, o Senhor oferece três orientações que ajudam as mulheres cristãs a descobrir o que e o que não usar: “As mulheres se vistam modestamente, com decência e discrição”. Vamos examinar essas três diretrizes para ajudar-nos a assegurar que os nossos looks estão em boa ordem, devidamente arrumados e prontos para mostrar Cristo.

É conveniente ou inconveniente?

Kosmio é a forma descritiva do substantivo grego kosmos (colocar em ordem, balancear, enfeitar ou decorar), que está relacionada com a palavra cosmos – universo. Os gregos entendiam que o universo deve ser um ordenado, integrado e harmonioso todo. Kosmos é o oposto do caos. Assim, quando Paulo disse para as mulheres que seu adorno deveria ser kosmio, quis dizer que, como o universo, todas as peças devem ser dispostas de forma harmoniosa com as outras partes. Deve ser “conveniente”, isto é, apropriado ou adequado. Dado o contexto, creio que Paulo estava querendo dizer que o nosso adorno deveria ser decente numa série de níveis diferentes.

Em primeiro lugar, a roupa deve ser apropriada, adequada e coerente com sua característica de filha de Deus. Mas também deveria ser apropriada ao seu tipo de corpo, apropriada para sua feminilidade, apropriada para seu marido, apropriada para as outras roupas que você está vestindo, e apropriada para a ocasião e lugar que você pretende usá-la. Há uma quantidade tremenda de orientação nessa pequena palavra: conveniente. Ela desafia você a avaliar suas roupas, sapatos, bolsas, maquiagem e cabelo de vários ângulos como parte do conjunto harmonioso e integrado de toda sua vida – para alinhar visível com o invisível e o temporal com o eterno. Ela desafia você a trazer uma perspectiva cósmica a ser considerada em suas decisões cotidianas.

Gosto da palavra que Paulo escolheu. Ela tem enormes implicações. Kosmio significa que o look de uma mulher cristã deve ser consistentemente definida, por dentro e por fora. Isso desafia aqueles que colocam uma ênfase excessiva na aparência externa, bem como aqueles que negligenciam sua aparência pessoal. É um corretivo para as mulheres que se vestem de maneira extravagante. É um corretivo para aquelas que se vestem sedutoramente. Mas também é um corretivo para aquelas que pensam que “santo” significa desmazelado, feio, não feminino e fora de moda. Conveniente mostra que andar de jeans largado e camisetas o tempo todo é tão inadequado quanto ser obcecada por roupas estilosas. Isso significa que a aparência de uma mulher deve ser bem definida . Deve ser agradável e atraente – por dentro e por fora.

É decente ou indecente?

A segunda palavra, aidous, baseia-se no termo grego para vergonha e desgraça. A palavra é uma mistura de modéstia e humildade. Quando eu penso numa palavra que personifica esse conceito, penso numa aproximação de Deus com reverência.

Trata-se de uma sensação de deficiência, de inferioridade ou indignidade. Sugere vergonha, mas também um sentimento correspondente de reverência e de honra para a autoridade legítima. É o oposto de insolência, imprudência, desrespeito ou ousadia. Olhar cabisbaixo é o oposto de um olhar desafiador.

Então, vestir-se com reverência significa que você está constrangida? Não. Significa que sua roupa diz a verdade sobre o evangelho. Sua roupa mostra ao mundo que Jesus cobre a sua vergonha e te faz decente. Suas roupas cobrem sua nudez como a roupa de Cristo cobre o seu pecado.

Vestir-se com reverência significa que você escolheu as roupas que são decentes aos olhos dEle… não roupas que são provocantes, sedutoras e que valorizam a nudez. Quando você se veste decentemente, você reconhece que Deus ordenou que roupas são para cobrir, e não chamar a atenção, para sua pele nua. Você se veste de respeito por Ele, pelo evangelho, pelos irmãos em Cristo – e por respeito a quem Ele fez você para ser. Decência significa que você concorda com o Senhor sobre o verdadeiro propósito de se vestir e deixa de lado o seu próprio interesse para se vestir de uma forma que exalte Cristo.

 Então, naquele vestiário, tentando entrar naquela saia, tenha tempo para sentar-se, dobrar-se e esticar-se na frente do espelho e pergunte a si mesma, essa saia é decente? Ele faz o que deveria fazer? Será que irá me cobrir devidamente? Será que vai ajudar a mostrar minha nudez – ou vai exaltar o evangelho de Cristo?

É moderada ou excessiva?

A última coisa a se perguntar sobre a roupa é se é moderada ou excessiva. Paulo usa a palavra grega sophrosunes. Significa “uma mente sã; que inibe desejos e impulsos, autocontrolada, sóbria”. A palavra indica que nosso adorno deve ser razoável e não louco. Devemos controlar os nossos impulsos e evitar os extremismos da moda, penteados e maquiagem. Também devemos evitar gastar loucas quantias de dinheiro ou lotar nossos armários com uma quantidade insana de roupas. Devemos governar nossas escolhas de vestimenta com um sentido de moderação, simplicidade e auto controle. Se a roupa é extremamente louca, insanamente cara ou se é loucura por você estar comprando outra, então você deve ignorá-la.

Entender o propósito das vestimentas e perguntara si mesma as três questões: É conveniente? É decente? E é moderada? Vai ajudar você a descobrir como se vestir. E não se esqueça de incluir o seu “Ajudador” no processo. O Espírito Santo é uma inestimável fonte de ajuda quando se trata de descobrir se sua aparência glorifica ou não a Deus. Se seu coração é reto e você busca Sua orientação, Ele será seu o consultor pessoal de estilo e vai ensinar o que e o que não usar.

Mary Kassian | Traduzido por Josie Lima | iPródigo | original aqui

7 razões para fumar

 
1. Para encurtar a minha vida.
2. Para destruir meu dinheiro, ao invés de usá-lo em alimentação, roupas, educação, etc.
3. Para dar mau exemplo aos filhos e amigos.
4. Para poluir o ar, não apenas para mim mas também para os outros, quer estes concordem ou não.
5. Para ter mau hálito, dentes escuros, mãos manchadas, tossir e expectorar.
6. Para ter muito mais oportunidades de padecer de câncer, enfisema, bronquite, arteriosclerose, infarto do miocárdio, trombose, etc.
7. Para envelhecer precocemente e viver menos 8 a 10 anos.
(Fonte: Jornal Brasileiro de Medicina)

domingo, 28 de agosto de 2011

Ninguem Escolhe Ter Sentimentos Homossexuais, Escolhe o que fazer com eles!

Assista um dos vídeos mais esclarecedores e inspirados por Deus sobre como os gays podem ser cristãos sem se iludir com as dificuldades que existem.

Casamento é aliança




Texto base: Gn 1:27-28; Gn 2:18 e 21-25
•Vamos basear nossas posições unicamente no que diz a bíblia.
•Precisamos partir do princípio de que nosso casamento é um propósito de Deus. (texto base)
•Quando Deus criou o homem ele planejou o casamento. (v. 18)
•E o casamento na visão de Deus não é a união de duas pessoas, mas a transformação de duas em uma mais forte! (v. 24-25)
•Vivendo como uma só carne! Sem embaraço em total transparência. (v. 25)
•Tudo depende do entendimento deste princípio.
1.A aliança.
Firmamos este princípio através de uma aliança!
Aliança é mais que um contrato, pois este é limitado!
Aliança é até a morte! Prometemos isto, afirmamos!
Deus cumpre a sua aliança conosco. Sl 89:34
Casamento também é aliança. Ml 2:14-16 E séria!
Deus abençoa nossa aliança nos tornando uma só carne!
2.O rompimento.
Há um grande poder na unidade! E o diabo sabe disso.
Por isso ele planejou destruir a unidade. Gn 3:1-4
Convenceu um deles a satisfazer a si mesmo. (v. 6)
Quando isso acontece acaba a unidade e entra o individualismo e a vergonha. (v. 7) Acabou a transparecia.
Saem da presença de Deus, escondendo-se. (v. 8)
Culpam-se mutuamente. (v. 12)
Justificam o pecado ao invés de arrependerem-se.
Assim o inimigo tem agido nos casamentos ainda hoje.
3.Estratégias malignas.
1.Inversão de papéis.
O diabo tem investido em masculinizar a mulher e afeminar os homens. Somos iguais mas temos papéis diferentes. Ef 5:22-33 este texto, Deus ilustra a diferença de papéis.
Não a predominância de um sobre o outro.
O papel da mulher: (v. 22-24)
Estar debaixo da mesma missão sob autoridade.
Como ao Senhor! (v. 22), Num mesmo propósito.
Por causa da autoridade. (v. 23-24)
O diabo tem denegrido a imagem da autoridade.
Jesus falava como quem tinha autoridade.
Não precisava provar nada pra ninguém!
Mulheres receiam se submeter a autoridade pois os maridos não sabem se comportar como autoridades.
O papel do homem:
Suprir espiritualmente. (v. 23)
Amá-la com entrega. (v. 25) Ela precisa disso. 1Pe 3:7
Para santificá-la. (v. 26-27)
Este amor é a prova da unidade. (v. 28-31)
Esta é a base da unidade – Amor e respeito. (v. 33)
2.Falta de perdão
Perdoar é uma ordem de Deus. Mt 6:14-15
Falta de perdão escraviza, adoece a nossa alma e ergue muros
O perdão é um ato de vontade e não um sentimento. Decida!
Assim como o amor também não é um sentimento, é uma decisão! Decida!
3.Falta de acordo.
Am 3:3? É possível viver casado sem acordo?
Para que haja acordo, tudo deve ser resolvido pelo casal na presença de Deus.
Sem sogro e sogra, nem filhos!
Há grande poder no acordo! Mt 18:19
Se fizemos uma aliança, vamos reafirmá-la hoje!

Os Benefícios da granola



A granola é um alimento geralmente feito de uma mistura entre cereais (aveia, flocos de arroz, germe de trigo), frutas desidratadas (uva passa, banana passa), frutos oleaginosos (castanha do Pará, castanha de caju, nozes) e açúcar mascavo.

Este alimento é uma fonte concentrada de fibras, vitaminas, minerais e carboidratos – estes importantes para o cérebro e os músculos, que possuem reservas limitadas e dependem desta substância.
O principais benefícios das fibras da granola são que elas auxiliam na regularização da função intestinal, no controle das taxas de açúcar e gordura no sangue, sem contar que as vitaminas e minerais antioxidantes combatem a nocividade dos radicais livres e atuam como ferramentas para as reações químicas geradoras de energia em nosso organismo.
Por sua composição, a granola torna-se uma das principais opções de alimentos para serem ingeridos após um treino ou uma prova, quando são gastas reservas de carburantes energéticos, glicogênio, gorduras, vitaminas e sais minerais, além das substâncias tóxicas resultantes do metabolismo ficarem acumuladas.
E não é somente após os treinos que a granola deve ser ingerida. Você pode colocar este alimento em qualquer de suas refeições e pode ser usada para combater aquela fome fora de hora, principalmente por ser um alimento nutritivo.
“A granola tem um alto teor de nutriente, por isso ajuda na sensação de saciedade. O único cuidado é para não comer em excesso, por causa das calorias, mas existem granolas em versões light”.
Fonte:http://iasdonline.com.br

Se alguém procura sua casa...



Se alguém procura sua casa com frio é porque você tem o cobertor.

Se alguém procura sua casa com alegria é porque você tem o sorriso.

Se alguém procura sua casa com lágrimas é porque você tem o lenço.

Se alguém procura sua casa com versos é porque você tem a música.

Se alguém procura sua casa com dor é porque você tem o curativo.

Se alguém procura sua casa com palavras é porque você tem a audição.

Se alguém procura sua casa com fome é porque você tem o alimento.

Se alguém procura sua casa com beijos é porque você tem o mel.

Se alguém procura sua casa com dúvidas é porque você tem o caminho.

Se alguém procura sua casa com orquestras é porque você tem a festa.

Se alguém procura sua casa com desânimo é porque você tem o estímulo.
.
Se alguém procura sua casa com fantasias é porque você tem a realidade.

Se alguém procura a sua casa com desespero é porque você tem a serenidade.

Se alguém procura sua casa com entusiasmo é porque você tem o brilho.

Se alguém procura sua casa com segredos é porque você tem a cumplicidade.

Se alguém procura sua casa com tumultos é porque você tem a meditação.

Se alguém procura sua casa com confiança é porque você tem o azul.

Se alguém procura sua casa com medo é porque você tem o amor.

Ninguém chega por acaso à sua casa.

Por isso jamais feche as portas a quem levemente nelas bate.

Jamais vire as costas a quem chega de olhos límpidos.

De coração inteiro, de alma exposta

Não dê desculpas, não se agarre a mil argumentos racionais.

Não invente motivos para justificar gestos bruscos.

Destranque os portões das suas defesas forjadas.

Destrua os muralhas construídas com os tijolos dos empurrões.

Todos que batem à sua porta merecem pão e vinho.

Merecem seu abraço, seu aconchego.

Todos que viajam em direção à sua casa,

E batem de leve à porta em busca da sua mão,

Merecem entrar …

(Autor desconhecido)

sábado, 27 de agosto de 2011

Fluxo dos eventos bíblicos - Antigo Testamento

 


Clique na Imagem para ampliar

Fonte: Bíblia e a Ciência

Sou a semente que o pássaro não devorou


E a que caiu em boa terra, esses são os que, ouvindo a palavra, a conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança. Lc 8:15


Árvore de Bons Frutos.

Eu sei quem sou

Sei pra onde vou
Sei de onde vim
E sei quem aqui me colocou

Jesus é o jardineiro e as árvores somos nós
Ao som da sua voz, minha alma floresce
Frutos nascem, flores crescem
Ele entrou na minha casa, Ele entrou na minha vida
Cuidou de cada folha, cuidou de cada galho
Fez em terra seca germinar copa bonita

Eu sou a semente que não secou no sol
Sou a semente que o pássaro não devorou
Sou a semente que o espinho não sufocou
Eu sou a árvore de bons frutos e foi Deus quem me plantou 

Árvore que não produz nada vira lenha, só serve pra queimar e virar cinza na fogueira. Eu vou fazer tudo que a palavra me diz pois machado nenhum vai cortar a minha raiz

Essa é uma canção dedicada a todas as sementes
Que caíram em terra seca
Mas mesmo assim produziram bons frutos em seu tempo
Que enfrentaram aves de agouro
Que enfrentaram espinhos
Que enfrentaram o sol
Mas venceram e se transformaram em grandes árvores
Grandes árvores
 
Fonte:Vivendo pela palavra

TV evangélica abre as portas para os adventistas


 

O apresentador Éber Cocareli demonstrou simpatia para com o estilo de vida adventista

Na noite de 22/08/2011, tive o privilégio de estar nos estúdios da Rede Internacional de Televisão (RIT TV) para um debate teológico sobre a importância da boa alimentação e sua influência na vida espiritual do crente.
O programa “Vejam Só!”, apresentado pelo Reverendo Éber Cocareli, lançou a seguinte questão: “Comer mal é pecado contra o templo do Espírito Santo [corpo]. Então, as igrejas não deveriam ensinar a comer direito?”
De um lado eu defendia a posição bíblica de que uma alimentação saudável está intimamente relacionada a uma espiritualidade saudável (1Co 10:31). Do outro, o Pr. Othoniel Rodrigues, palestrante do Instituto Cristão de Pesquisas (ICP) e líder do Ministério Evangélico de Missão Integral Graça (MEMING), estava em defesa da ideia de que o alimentar-se errado não é pecado, mesmo que traga consequências danosas à saúde.
Uma das bases de minha argumentação foi 1 João 3:4, que afirma ser a desobediência à lei de Deus “pecado” – seja esta lei de ordem moral (Ex 20) ou dietética (Gl 5:21; Rm 16:18; 1Co 10:31). Além disso, a Bíblia ensina ser o corpo humano o “templo” ou “santuário” do Espírito Santo (1Co 3:16, 17; 6:19, 20), de modo que todos os cristãos (ou não cristãos) têm a responsabilidade moral de cuidar do aspecto físico.
Já o Pr. Rodrigues argumentou, com base em alguns textos (inclusive Mateus 15:11) que Deus não leva tão em conta a comida do crente, mesmo que o texto (de Mateus 15) esteja tratando de outro assunto (rituais de purificação) e não da alimentação saudável em si.
Um dos pontos positivos (entre muitos outros) é que estou recebendo e-mails de irmãos evangélicos interessados em saber mais sobre a alimentação saudável, à luz da Bíblia. Outro motivo de alegria é a oportunidade que tivemos de divulgar a dieta alimentar saudável que o colega Marcos Júnior, do departamento Web, está fazendo com base nas instruções do livro Conselhos Sobre Regime Alimentar, de Ellen G. White.

Para maiores informações sobre o debate que ocorreu na rede de TV que pertence ao missionário R. R. Soares, basta acessar o link
http://bit.ly/q1mRvR Caso queira também conhecer mais de perto a eficácia dos bons princípios de saúde na vida de Marcos Júnior, acessewww.facebook.com/vidaesaudent

@namiradaverdade
@lsquadros


Fonte:
Jardim Petropolis II

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O Sábado


É estranho que hoje, as pessoas aceitem os Dez mandamentos como sendo apenas nove.
Uma religião foi mais longe e transformou os dez em oito, sumindo com o segundo e mudando o quarto, duplicando o décimo. É estranho como as pessoas pensam… Vale o mandamento “Não matarás”, o “amarás a Deus sobre todas as coisas”, e até vale o “não levantarás falso testemunho”; mas o mandamento para “guardar o sábado”, este não vale. Agem como se o Sábado tivesse sido abolido, mudado, riscado, e cumprido. E os outros mandamentos? Não? Por que?

O Quarto Mandamento
Antes de continuar, vamos reler os Dez mandamentos, com estão na Bíblia. Você pode ler Êxodo 20: 3-17 na sua Bíblia ou conferir, nas primeiras páginas deste livro a sua transcrição.
Muito bem, agora que você já tem um visão geral do caráter de Deus e sua representação na Lei, vamos analisar o “polêmico” quarto mandamento.
Qual é sua origem, sua importância, seu objetivo e, afinal, por que ele não é obedecido hoje em dia pela maioria dos cristãos?
O Sábado surgiu há muito e muito tempo atrás, junto com o primeiro homem, Adão.
Na verdade, Deus fez o Sábado por causa dele, de Adão.

Com a criação, Deus estabeleceu a ordem que deveria governar o mundo. Criou o dia e a noite, a semana, os meses lunares, os anos solares, enfim, pôs tudo em ordem, como é de sua natureza e entregou tudo para o homem a fim de que este usufruísse da sua criação, com sabedoria.

Junto com o “pacote” dado por Deus, veio o Sábado de descanso, criado por Ele para que, depois de seis dias de trabalho, o homem pudesse parar e se lembrar de que tudo o que ele tem vem de Deus, nosso Criador.

O Sábado foi criado por causa do homem. Leia o que Jesus disse:
“ O Sábado foi estabelecido por causa do homem, e não o homem por causa do Sábado.” Marcos 2:27

Da mesma forma pela qual Adão amava a Deus e procurava fazer a Sua vontade, também guardava o Sábado como memorial eterno daquele que o criará. Afinal, este foi um mandado especifico de Deus, e não houve nenhum dispositivo que o revogasse.

E assim foi, de Adão para Sete, de Sete para Noé, de Noé para os patriarcas, todos passando as Leis (o caráter de Deus) para adiante, para seus filhos. Pois todos amavam a Deus, e, por conseqüência, queriam fazer a sua vontade.

E assim foi, até que o povo de Israel foi transformado em escravo no Egito e se afastou da Lei de Deus por 400 anos.

Nesse momento, quando a corrente de pai para filho se quebrou, Deus foi obrigado a reeducar o povo e a ensinar-lhe, não só os seus estatutos, mas também quem Ele era e o tamanho do seu amor pelo homem. Todas as lições, dadas a Israel no deserto, não traziam qualquer novidade. Eram, na verdade, reedições de preceitos divinos estabelecidos desde o principio dos tempos.

Amor a Deus, amor ao próximo, a vinda do Messias e a necessidade de entregar o coração ao Salvador, tudo isso já tinha sido dado a Adão.

O Sábado, como os outros mandamentos, foi reconfirmado e estabelecido mais uma vez como dia sagrado e como memorial da criação.
Tão importante era a guarda deste dia, que Deus fez inúmeras promessas aos que respeitassem este preceito.
Aliás, muito mais promessas do que qualquer outro mandamento, com exceção do primeiro.

“Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses
no meu santo dia; mas se chamares ao Sábado deLeitoso e santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, então, te deLeitarás no Senhor. Eu te farei cavalgar sobre os altos da terra, e te sustentarei com a herança de Jacó, teu pai, porque a boca do Senhor o disse.” Isaías 58:13-14

Muito bem, durante os séculos que se sucederam, tudo foi preservado como na criação.
As medidas, reeditadas por Moisés, foram escritas e dirigiram a vida do povo escolhido por Deus na terra, aquele que deveria ser a testemunha fiel do seu amor pelo homem.
Até que um dia, na plenitude dos tempos, veio Jesus, o Messias.
Artigo extraído do livro Sábado, o selo de Deus
de autoria de Peter P. Goldschmidt, no capítulo 3.Pelo Site
Bíblia e a Ciência

O macaco veio do homem?


A revista Veja desta semana publicou um artigo sobre o lançamento do filme “O Planeta dos Macacos – A Origem”. Mas o que me chamou a atenção mesmo foi o box no meio da matéria, intitulado “Nós, os pais deles”. Diz o texto: “‘Por qual lado o senhor descende dos macacos? O de sua avo ou o de seu avo?’ A provocação foi feita pelo bispo inglês Samuel Wilberforce, defensor do criacionismo (a ideia de que um ser todo-poderoso ordenou a criação de todos os seres vivos), em um celebre debate de 1860, na Universidade de Oxford. Ele se dirigia ao biólogo Thomas Huxley, conhecido como ‘o buldogue de Darwin’, por divulgar as teses do naturalista Charles Darwin. A discussão era sobre o recém-lançado A Origem das Espécies, em que o naturalista apresentava sua teoria da evolução, segundo a qual os seres passam por transformações para se adaptar ao meio em que vivem [microevolução] - o que viria a ensejar o raciocínio de que o homem evoluiu a partir do macaco [macroevolução]. Passado um século e meio, porém, cientistas descobriram que o bispo estava correto ao questionar Darwin. Não, não viemos dos macacos. Tudo sugere que a verdade é ainda mais desconcertante: foram os chimpanzés e os gorilas que evoluíram de um ser parecido conosco. A pergunta de Wilberforce, então, deveria ser outra, e endereçada não a um semelhante, mas a um chimpanzé como Caesar, protagonista do filme ‘Planeta dos Macacos - A Origem’: ‘Por qual lado o senhor, caro símio, descende dos homens?’

“A conclusão de que foi um hominídeo muito semelhante ao homem que deu origem aos símios atuais, como os chimpanzés e os gorilas, foi proposta há dois anos. Em outubro de 2009, um grupo de pesquisadores anunciou a descoberta do esqueleto de uma ancestral do Homo sapiens que viveu ha 4,4 milhões de anos [segundo a cronologia evolucionista]. O hominídeo da espécie
Ardipithecus ramidus é uma fêmea de 1,20 metro e 50 quilos, cujos ossos foram escavados em 1994 na Etiópia. Só quinze anos depois o esqueleto, que ganhou o nome de Ardi, foi montado e apresentado ao publico. A surpresa é que Ardi, o exemplar completo mais próximo já descoberto do elo perdido [sic] que une a linhagem humana a dos símios, pouco se parece com o nosso [suposto] ancestral imaginado antes por biólogos e paleontólogos. Ela não vivia em arvores, não tinha braços compridos para se jogar de um galho a outro nem andava de cócoras pelo chão. Ardi era muito mais parecida com um humano do que com um macaco. [E é bom lembrar que os desenhas que a “macaquizam” são apenas isto: desenhos.]

“Ardi não tem os dentes superiores afiados como adagas, como as dos chimpanzés; eles são similares aos do homem. A base de seu crânio é curta e se apoia verticalmente sobre o topo da coluna, à maneira da de um hominídeo bípede - nos macacos, a cabeça fica à frente da espinha. Ela não tem focinho protuberante e sua face segue uma orientação vertical, similar à do rosto humano. Seu fêmur é adaptado para a caminhada sobre os dois pês. Os ossos superiores da pélvis são curtos e amplos - indicação de que seu centro de gravidade se dispunha de modo a que ela pudesse se apoiar em um pé a cada vez enquanto andava. Sua espinha é longa e capaz de se curvar, como ados humanos, e não curta e rígida, como a dos chimpanzés.

“Explica a Veja o paleoantropologista americano Tim White, professor da Universidade da Califórnia que liderou as escavações de Ardi e está à frente dos estudos que envolvem nossa ancestral [sic]: ‘Está claro para nós que ela tem mais características de hominídeos que de símios. E foi uma espécie parecida com a de Ardi que depois originou duas linhas de evolução, a do homem e a dos gorilas e chimpanzés. Nós preservamos essas características da nossa ancestral, enquanto a outra linhagem perdeu esses atributos e resultou nos símios.’ Eis uma imagem que deixaria o bispo Wilberforce ainda mais estupefato do que já ficara em 1860: a de nós, homens, como pais dos macacos.”

Nota: É uma reviravolta interessante que revela o acidentado caminho da hipótese da evolução humana (embora as hipóteses anteriores sempre tenham sido tratadas como “fato” pelos cientistas darwinistas e pela mídia secular). Em lugar de evoluir, os símios “involuíram” de um ancestral “parecido” com o ser humano moderno (que, para mim, era plenamente humano). Mas e onde estariam os precursores/ancestrais da Ardi? Esses estão no reino da ficção. O que os fatos (fósseis) estão dizendo é que o ser humano sempre foi humano e os macacos – a menos que se queira inventar a história de que “involuíram” dos humanos – sempre foram macacos. Os criacionistas sempre disseram isso.

Fonte:O Criacionismo

Novos tempos, maiores exigências

Não há dúvidas de que a tecnologia veio para mudar nossa vida e trazer facilidades. Hoje é possível se comunicar gratuitamente com uma pessoa do outro lado do mundo, vendo o rosto dela numa tela, ao mesmo tempo em que se envia para ela um arquivo de filme (ou outra coisa qualquer) via internet. Os buscadores economizam horas de pesquisa e os blogs e redes sociais ajudaram a democratizar a informação, possibilitando ao receptor o acesso a ferramentas que facilmente o tornam, também, emissor da informação. As infovias poderiam até ser comparadas às estradas romanas do primeiro século, que facilitaram o contato das pessoas e a disseminação de informações no antigo Império Romano. Os modernos, rápidos e fáceis meios de comunicação atuais certamente estão no contexto da nova “plenitude dos tempos”, em que há plenas condições de comunicar as boas-novas da volta de Jesus ao mundo. Se Ele ainda não voltou, não foi por falta de recursos comunicacionais. Mas essa é outra discussão...

Entretanto, com as facilidades vêm também os desafios. É tanta informação disponível, que muita gente não consegue mais administrar essa avalanche. Como selecionar nessa imensa prateleira de conteúdos o que é relevante e desprezar o irrelevante? Como desenvolver essa habilidade de foco e não nos perdermos nas águas virtuais? Chegou o tempo em que os cristãos devem escolher entre o bom e o essencial. Há muita coisa boa na internet, mas se nos dedicarmos a todas elas, não mais nos sobrará tempo para o que é essencial: a comunhão com Deus, o relacionamento com a família e os amigos (afinal, “as coisas mais importantes na vida não são coisas”, como escreveu Anthony J. D’Angelo) e a missão (sim, porque nós, cristãos, não estamos aqui numa colônia de férias, mas no campo de uma batalha; e temos uma obra a concluir).

Além da tentação da perda de tempo com o que é bom, há também o perigo maior da submersão em águas turvas. Quanto mais a informação se torna acessível (ponto positivo), mais o lixo internético se aproxima, também, das pessoas (ponto negativo). Se antigamente (e “antigamente”, hoje, nestes tempos velozes, pode ser vinte anos atrás, apenas) o rapaz, para ter acesso à pornografia, tinha que se expor, fingir que era mais velho e comprar uma revista na banca de jornais, hoje, no recôndito de seu quarto, atrás de um monitor, no anonimato conveniente e à distância de apenas um clique, todo um
universo imoral e viciante se lhe abre aos olhos. A armadilha é satanicamente perfeita: a sociedade apresenta moral questionável e carregada de valores invertidos; as pessoas perdem cada vez mais a capacidade de resistir à tentação e se acostumam ao pecado (Rm 12:2); então vem a serpente virtual e esfrega o fruto do pecado no nariz da vítima. É... quem disse que viver nos últimos dias seria coisa fácil?

Li recentemente um artigo interessante:
“Forget Dagon, Baal, and Asherah: smartphones are the new idols”. Nele o autor fala da escravidão crescente aos smartphones, iPads, etc., e fala também do mal da distração. Aqui não pude deixar de pensar na invasão das igrejas por esses equipamentos. Tem gente que nem leva mais a Bíblia (de papel) para os cultos e isso tem gerado discussões. Talvez algo parecido tenha ocorrido quando da transição dos pergaminhos para o livro... Mas o fato é que a mudança do papel (que, ao que tudo indica e ao contrário do que alguns vaticinaram, não vai deixar de ser usado tão cedo) para o digital ainda causa certa estranheza, e o pior: o uso desses equipamentos pode acarretar distração justamente onde isso não deveria ocorrer: no local em que se prega a Palavra de Deus e em que buscamos um encontro especial com o Criador.

Para alguns, a Bíblia (em papel) ainda tem toda a simbologia de livro separado, já o celular tem a característica do secular, ferramenta do dia a dia em que se faz de tudo (até ligações telefônicas!). Usar a Bíblia no iPod ou no iPad é muito prático, mas parece ainda não ter se revestido do caráter reverente e profundamente simbólico de abrir e folhear as páginas sagradas. Para os guardadores do
sábado, o sétimo dia da semana é aquele em que se usam roupas separadas/especiais, procura-se preparar um prato diferente, enfim, um dia sagrado, libertador da rotina. Não seria também o caso de se ter uma Bíblia “separada”? Caminhar pelas ruas com a Bíblia nas mãos é, também, uma maneira de dizer ao mundo que somos cristãos. Mas quem vai saber que temos a Bíblia em nosso smartphone?

Entenda bem: não estou sugerindo que o uso desses equipamentos na igreja seja pecado ou moralmente condenável. Quero apenas lembrar que a utilização deles deve ser regida pela racionalidade e pela espiritualidade. (Eu não disse que estes tempos modernos trazem maiores exigências? Inclusive de reflexão.)

Mais do que nunca, precisamos pensar nas palavras de Habacuque 2:20: “O Senhor... está no Seu santo templo; cale-se diante dEle toda a terra.” E em Malaquias 1:8 Deus “desabafa”: “Quando trazeis animal cego para o sacrificardes, não é isso mal? E, quando trazeis o coxo ou o enfermo, não é isso mal? Ora, apresenta-o ao teu governador; acaso, terá ele agrado em ti e te será favorável?, diz o Senhor dos Exércitos.” Quando nos portamos de maneira irreverente na casa de Deus, não Lhe devotando toda a nossa atenção, não consiste isso num “sacrifício imperfeito”? Paradoxalmente, muita gente, enquanto age assim diante do Criador do Universo, devota total atenção ao “time do coração”, ao seriado favorito ou às conversas com amigos.

Temos que reaprender o que é aquietar-nos para saber que Ele é Deus (Salmo 46:10).

Michelson Borges

Além de adultério, blasfêmia

 
O mercado internacional da traição descobriu o Brasil. Nos últimos dois meses, três sites internacionais especializados em relações extraconjugais abriram seus serviços no país.
Juntas, a canadense Ashley Madison, a americana Ohhtel e a holandesa Second Love contam com cerca de 12 milhões de usuários ao redor do mundo e já reúnem mais de 370 mil pessoas no Brasil. O grande atrativo dessas redes sociais é a facilidade de se conseguir uma “pulada de cerca” de forma rápida e discreta.
Mas, se dentro dos sites a discrição é a chave do negócio, fora do ambiente virtual, as empresas têm promovido estratégias bem barulhentas para divulgar seus serviços e apostam alto na libido e na infidelidade dos brasileiros.
A Ashley Madison, por exemplo, investiu cerca de US$ 2,5 milhões (o equivalente a R$ 4 milhões) no lançamento de sua página no Brasil e prevê gastar até o fim do ano pelo menos outros R$ 3,5 milhões em marketing. Criado há 10 anos no Canadá, o site é a maior rede de relacionamento extraconjugal do mundo, com presença em 15 países e mais de 10 milhões de usuários inscritos. O slogan direto, dispensa metáforas: “A vida é curta. Curta um caso.”
No país, o site entrou no ar na primeira semana de agosto e já bateu o recorde mundial da empresa para um lançamento. Até a última terça-feira (23), a empresa contabilizava 107 mil cadastros de brasileiros, que já gastaram no site cerca de R$ 1,7 milhão. Mais de 22 mil inscrições foram feitas em pleno domingo do Dia dos Pais, data em que a empresa publicou seu primeiro anúncio em um jornal de grande circulação. [...]
O primeiro outdoor do site Ohhtel foi instalado nesta quarta-feira na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e promete abrir polêmica. Ao lado da imagem do Cristo Redentor, a publicidade exibe a mensagem: “Tenha um caso agora. Arrependa-se depois.” A empresa afirma que comprou os direitos de uso da imagem do símbolo religioso “para propósitos de publicidade” e que o objetivo foi usar “a melhor imagem que representa a Cidade Maravilhosa” para falar com o público carioca. [...] (
G1 Notícias)
 
Nota: Você ainda duvida da decadência moral deste mundo que já perdeu a noção da linha divisória entre o sagrado e o profano? Além de promover o adultério e a destruição de famílias, esses sites não demonstram um pingo de respeito por Aquele que disse que o simples ato de olhar para uma mulher com intenção impura já constitui adultério.

O slogan deles devia ser: "A vida é curta, pense bem no que vai fazer com ela." Logo tudo isso terá fim e o Criador dirá “basta”. (Michelson Borges)

Fonte:
Criacionismo

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Os 10 mandamentos do internauta cristão


DEZ DICAS PARA VOCÊ PROTEGER SEU MICRO E SUA MENTE

A maior ferramenta de comunicação interpessoal do planeta tem centenas de benefícios a oferecer e milhares de vírus para infectar seu computador. Você percebeu que até hoje ninguém inventou um vírus para ser vendido? Pois é, eles são gratuitos, aparecem sem a gente chamar e fazem um estrago sem conta. Para proteger seu computador enquanto navega, é preciso ter instalado um programa firewall e antivírus atualizados. Mas somente isso não é o suficiente.

Por isso, sugiro dez mandamentos que o ajudarão a proteger o computador, economizar dinheiro, customizar tempo e, principalmente, manter sua mente pura. Vou me valer da didática divina. Como fica mais fácil gravar uma ordem na forma negativa, abaixo vão as orientações:

1. Não terás outras atividades em seu computador no tempo que é para a devoção pessoal.

2. Não farás para ti downloads de anexos de e-mails desconhecidos. Não conversarás e muito menos marcarás encontro com quem não conheces.

3. Não informarás teus dados para recadastramento de CPF, conta bancária ou título de eleitor, e fugirás de spams, pop-ups e links de ofertas imperdíveis.

4. Lembra-te de teu Criador em todas as páginas que visitares. Não te esqueças de ser cristão 24 horas do dia.

5. Honra tua família ao usares palavras edificantes e sábias no teu MSN, Orkut, Facebook e Twitter. Deixarás bem claro que é seguidor da Bíblia ao compartilhar textos e frases que iluminem vidas.

6. Não matarás tempo preciosos navegando sem rumo e jogando games na hora destinada ao sono, estudo e trabalho.

7. Não adulterarás tua página pessoal com informações falsas sobre altura, cor dos olhos e peso, só para impressionar os internautas.

8. Não furtarás softwares, músicas, filmes ou arquivos.

9. Não dirás falso testemunho contra qualquer ser humano, por pior que pareça ser. Não acreditarás nas campanhas para salvar meninas desaparecidas, pessoas com câncer terminal ou baleias em extinção. E não terás esperança de que a Microsoft dará dinheiro para quem repassar e-mails para 30 pessoas.

10. Não cobiçarás as mulheres ou homens dos sites perniciosos; não desejarás o modo de vida dos famosos; e não participarás das correntes para enriquecer.

Sobretudo, buscarás a Deus em primeiro lugar para Ele controlar teus dedos e olhos em todo o tempo de navegação. Um abraço internáutico.

Pr. Udolcy Zukowski -
Revista Conexão JA