terça-feira, 31 de maio de 2011

As coisas que Deus "detesta"

Eu acredito que o que é bom deve ser compartilhado. Por exemplo, se eu vejo um filme muito legal, eu o indico para os amigos; se leio um livro que me marcou, eu também dou a dica para aqueles a quem amo... e assim por diante.

Certo sábado, a Marta, eu e nossas 2 filhas (lindas...rs) fomos ao culto da Igreja Central de João Pessoa. O pregador foi um dos Anciãos, o irmão João (mais conhecido por "Janjão"), um homem de Deus, querido e respeitado por todo mundo. Ele pregou sobre um tema que, até então, eu não tinha parado para refletir à maneira como ele o fez.

E como eu gosto de dividir com os amigos aquilo que foi proveitoso para mim, resolvi fazer a postagem de hoje baseada no texto bíblico que o irmão "Janjão" usou no culto.

Espero que seja útil para você, assim como foi para mim.

"Seis coisas o SENHOR aborrece, e a sétima a sua alma abomina: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que trama projetos iníquos, pés que se apressam a correr para o mal, testemunha falsa que profere mentiras e o que semeia contendas entre irmãos" - Prov. 6:16-19.

As 6 Coisas que Deus "aborrece"

A palavra que foi traduzida, na versão Almeida Revista e Atualizada, por "aborrece" é a hebraica SANE', que pode significar também: "odeia", "detesta", "tem inimizade", etc.
Logo de cara vemos que não devem ser coisas boas, pois raramente a Bíblia menciona algo que o Senhor possa "odiar"... veja que palavra forte foi escolhida por Salomão, inspirado pelo Espírito Santo!

O irmão que mencionei no início fez uma abordagem muito interessante. Ele iniciou fazendo uma comparação com o seu relacionamento conjugal, que já está chegando aos 40 anos de convivência feliz e abençoada. O seu pensamento foi o seguinte:
- "Se eu sei que minha querida esposa não gosta de algo, por amor a ela eu vou procurar abandonar tal prática".

E o mesmo ele aplicou para com Deus.
- "Se eu sei que Deus não gosta (ou "é inimigo") de alguma coisa, por que então eu vou continuar a praticar isso, uma vez que eu O amo?".

Vamos ver que coisas são essas, que o Senhor "detesta":

1. Olhos altivos
A Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) diz: "olhar orgulhoso".
Deus detesta um olhar orgulhoso, ou seja, aquelas demonstrações que nós, pecadores, costumamos dar com relação a coisas que, no fundo, não têm tanta importância. Vejamos alguns exemplos:
Uns podem ter orgulho de uma casa grande e luxuosa;
Outros, de um carro importado de último tipo;
Outros, de um título acadêmico (doutorado, por exemplo);
Há, ainda, aqueles que podem ter orgulho de seu "sobrenome", ou de sua "raça" ou "etnia".
Recentemente está se tornando comum até mesmo as demonstrações de "orgulho" por uma opção sexual diferente da heterossexual.

Deus não gosta deste tipo de altivez porque dá a impressão que o orgulhoso se acha melhor que as outras pessoas.

2. Língua mentirosa
A mentira é algo muito triste, pois o pai dela é o próprio diabo (João 8:44). Uma pessoa que se acostuma a viver de mentiras só pode viver uma vida muito triste, pois faz do irreal e fantasioso uma maneira de "mascarar" a dura realidade que às vezes não quer enfrentar.
Existem também aquelas pessoas que mentem para prejudicar outras, levantando boatos, fofocas, maledicências, etc., que só trazem dor e sofrimento.

Deus "odeia" a língua mentirosa. Veja que a Bíblia não diz que o Senhor odeia "o mentiroso", pois sabemos que Ele odeia o pecado, mas ama o pecador.

3. Mãos que derramam sangue inocente
Aqui se enquadram as diárias manifestações que vemos nos noticiários com relação à escalada da violência em nosso mundo.
Está se tornando comum vermos cenas de assassinos frios, que matam por prazer ou maldade (ou a soma diabólica dos dois). Você já deve ter visto casos de mães que matam o próprio filho, maridos que matam a esposa a quem um dia juraram amar e defender eternamente, esposas que maquinam a morte do marido para ficarem com a herança, filhos que contratam matadores profissionais para exterminarem os próprios pais (quando não o fazem com as próprias mãos!), etc.
Nosso mundo está cheio de "mãos" que derramam sangue inocente. São pessoas que não têm nenhum sentimento de afinidade para com outros seres humanos, e por isso não se incomodam em tirar a vida de outro.
Também podemos aqui incluir uma grande parte de políticos, empresários, servidores públicos, etc., que não se incomodam em roubar o dinheiro que seria usado para matar a fome, ou curar a doença, ou aliviar o sofrimento de pessoas inocentes. Infelizmente o amor ao dinheiro (a raiz de todos os males - 1Tim. 6:10) tem feito com que muitos inocentes sejam mortos diariamente neste mundo mal, injusto e perverso no qual AINDA vivemos.

Deus odeia ver as constantes demonstrações de pessoas inocentes serem mortas (por ação ou omissão) por pessoas que deveriam tratá-las como semelhantes.

4. Coração que trama projetos iníquos
A NTLH diz: "a mente que faz planos perversos". Este "item" parece estar ligado ao anterior, pois muitos destes "projetos iníquos" terão como resultado a morte de algum inocente.
Quantas vemos nós mesmos somos alvos deste tipo de "corações"! Pessoas que vivem para prejudicar a vida de quem está ao seu lado.
Você, talvez, já deve ter sofrido na mão de um colega de trabalho, de escola, ou até um irmão (?) da igreja, que tentou colocá-lo para trás, na tentativa de ocupar o seu lugar.
Neste tipo de coração é onde está a fonte dos atentados terroristas, dos "serial killers" da vida, dos corruptos de plantão, etc.

Deus odeia ver as pessoas gastando seu tempo em coisas que só trarão maldade e sofrimento para a vida de outras, e para as suas próprias.

5. Pés que se apressam a correr para o mal
É impressionante como é fácil ajuntar milhares de pessoas para participarem de festas regadas a muita droga e prostituição (as "raves" estão todos as semanas nos noticiários para provarem isso), ou para as paradas de "orgulho" imoral! Convide esta mesma pessoa para participar de um programa de louvor, e você ouvirá um sonoro "não".
O texto bíblico enfoca a palavra "apressar", ou seja, estas pessoas estão sempre em busca de coisas más, e nada as impede de saciarem seus instintos maldosos.

Deus odeia ver as pessoas correndo atrás daquilo que só lhes causa dor, apesar de parecerem coisas boas e prazeirosas... a princípio.

6. Testemunha falsa que profere mentiras
É interessante como aqui o escritor bíblico dirige o "aborrecimento" (ou ódio) de Deus diretamente para um ser humano - aquele que gosta de dizer mentiras contra outras pessoas. Veja que há aqui uma diferença sutil para com o primeiro item ("língua mentirosa"), pois as mentiras agora são voltadas a prejudicarem pessoas através de um "falso testemunho".

Deus odeia aqueles que mentem maldosamente para prejudicarem outra pessoa.

Agora vem o pior: aquilo que Deus ABOMINA.
A palavra traduzida por "abomina" é a hebraica TOWEBAH, que se refere a algo "repugante", ou seja, é pior que "odiável"... se é que pode existir algo assim!

7. O que semeia contendas entre irmãos

Por que será que Deus ABOMINA, DETESTA, ODEIA, REPUGNA aquelas pessoas que provocam brigas entre os irmãos?
Mais uma vez aqui o alvo é diretamente a pessoa que age de maneira diabólica ao introduzir brigas, contendas, inimizades no seio das famílias, especialmente da família "espiritual", que é a Igreja.
Infelizmente, sempre existem aqueles "irmãos" que agem de má fé, com fofocas e boatos para destruir a imagem ou a paz de outras pessoas. Você deve conhecer alguém que vive de politicagem para ocupar cargos na Igreja, ou que é uma espécie de "repórter da desgraça", sendo sempre a primeira pessoa a divulgar os boatos e as últimas "novidades" sobre pessoas da Igreja.
Na Internet, por exemplo, proliferam sites cujo único objetivo é promover a discórdia e desavença entre os Adventistas. Algumas pessoas têm se utilizado destes "espaços" para espalhar, ao invés de ajuntar.

Deus não tolera este tipo de pessoas, que gostam de semear a discórdia no seio da Sua amada Igreja.


"Não devemos permitir que nossas perplexidades e desapontamentos nos corroam a alma, tornando-nos impertinentes e impacientes. Não haja discórdia, nem suspeitas ou maledicência, para não ofendermos a Deus. Meu irmão, se abrires teu coração à inveja e a vis suspeitas, o Espírito Santo não poderá habitar contigo. Busca a plenitude que há em Cristo. Trabalha de modo por Ele indicado. Que cada pensamento, palavra e ato O revele. Precisas de um diário batismo do amor que nos dias dos apóstolos os tornava todos de um mesmo comum acordo. Esse amor trará saúde ao corpo, espírito e alma. Circunda tua alma com uma atmosfera que fortaleça a vida espiritual. Cultiva a fé, a esperança, o ânimo e o amor. Reine a paz de Deus no teu coração" - Ellen White, Testemunhos Seletos, vol. 1, pág. 493.

É muito bom quando vemos que a Bíblia é detalhista em nos mostrar o caráter de Deus. Como Seus filhos, devemos refletir constantemente sobre as coisas que já sabemos que O desagrada.

Se sabemos que Ele não gosta (odeia ou abomina), então por que ainda as praticamos?

Só mesmo pela graça e misericórdia deste Deus maravilhoso é que podemos, afinal, sermos salvos de nossa vil natureza de pecado!

Fonte:Gilson Medeiros

OMS anuncia que celular pode aumentar risco de câncer

A radiação de telefones celulares pode causar câncer, anunciou a OMS (Organização Mundial de Saúde) nesta terça-feira. A agência lista o uso do telefone móvel como "possivelmente cancerígeno", mesma categoria do chumbo, escapamento de motor de carro e clorofórmio. A informação foi publicada no site CNN Health.

Antes do anúncio de hoje, a OMS havia garantido aos consumidores que a radiação não tinha sido relacionada a nenhum efeito nocivo à saúde.

Uma equipe de 31 cientistas de 14 países, incluindo Estados Unidos, tomou a decisão depois de analisar estudos revisados por especialistas sobre a segurança de telefones celulares.

A equipe encontrou provas suficientes para classificar a exposição pessoal como "possivelmente cancerígena para os seres humanos."

Isto significa que não existem estudos suficientes a longo prazo para concluir se a radiação dos telefones celulares é segura, mas há dados suficientes que mostram uma possível conexão, e que os consumidores devem ser alertados.

O tipo de radiação que sai de um telefone celular é chamado de não-ionizante. Não é como um raio-X, mas mais como um forno de micro-ondas de baixa potência.

"O que a radiação do micro-ondas faz, em termos mais simples, é semelhante ao que acontece aos alimentos no micro-ondas: cozinha o cérebro", disse Keith Black ao site da CNN, neurologista do Centro Médico Cedars-Sinai, em Lós Angeles.

A OMS classifica os fatores do ambiente em quatro grupos: cancerígenos - ou causadores de câncer - para o homem; possivelmente cancerígeno para os seres humanos; não classificados quanto ao risco de câncer para o homem; e provavelmente não cancerígeno para os seres humanos.

O tabaco e o amianto estão na categoria "cancerígeno para os seres humanos". Chumbo, escapamento do carro e clorofórmio estão listados como "possivelmente cancerígeno para os seres humanos".

O anúncio foi feito do escritório da OMS em Lyon, na França, após o número crescente de pedidos de cautela sobre o risco potencial da radiação do celular.

A Agência Europeia do Ambiente pediu mais estudos, dizendo que os telefones celulares podem ser tão nocivos para a saúde pública quanto o tabagismo, o amianto e a gasolina.

O líder de um instituto de pesquisa do câncer da Universidade de Pittsburgh enviou um memorando a todos os funcionários, pedindo a diminuição do uso do celular por causa de um possível risco de câncer.

A indústria de telefonia celular afirma que não há provas conclusivas de que a radiação dos aparelhos cause impacto sobre a saúde dos usuários.

O anúncio de hoje pode ser um divisor de águas para as normas de segurança. Os governos costumam usar a lista da Organização Mundial de classificação de risco cancerígeno como orientação para as recomendações de regulamentação ou ações.

Fonte:
Folha São Paulo

Bactéria E.coli já fez 15 mortos na Alemanha


A Alemanha conta já com 15 mortos provocados pela bactéria E.coli, uma mulher morreu na Suécia com a mesma infecção e e em Espanha há uma pessoa em estado grave.


A bactéria continua a propagar-se, uma vez que a fonte infecciosa continua activa e ainda não foi identificada.


Na Alemanha, há mais de 1400 doentes e 353 casos da forma agravada da doença, que ataca os rins e o sangue e destrói os glóbulos vermelhos, levando à morte, pelo que se teme que o número de vítimas mortais aumente a cada dia.


O governo avisou que a propagação da bactéria está a assumir proporções europeias e voltou a aconselhar os cidadãos a não consumirem legumes crus, já foram destruídas toneladas de legumes e fruta.

Publicada por A Grande Controvérsia

Fé ajuda na prevenção de doenças cardiovasculares

A pesquisa feita nos Estados Unidos concluiu que a fé pode ajudar a reduzir sintomas como ansiedade, depressão e estresse, além de mudar hábitos como parar de beber e fumar. A discussão já chegou ao meio acadêmico. Durante 31 anos, médicos americanos acompanharam 6.500 pacientes e constataram que a fé os ajudou na prevenção de doenças do coração. “Pode variar de 25% a 35% a redução nessas taxas de mortalidade cardiovascular, mas desde que o seguimento seja longo, o seguimento de ideias seja de 15, 20, 30 anos”, explica Álvaro Avezum Júnior, cardiologista. Segundo os cardiologistas dos sete últimos estudos internacionais envolvendo crença x saúde, seis mostram que quando a pessoa exercita a espiritualidade, a chance de morrer por causa de problemas cardiovasculares diminui.

Um dos estudos avaliou quase quatro mil idosos. Os que frequentavam alguma reunião religiosa tiveram 40% na redução da taxa de pressão alta.

Os médicos dizem que a religiosidade ajuda a reduzir a produção de adrenalina e cortizol, um hormônio que está presente nos momentos de estresse e depressão, fatores de risco de doenças como infarto e derrame.

“O enfrentamento de situações estressoras, com quaisquer fatores, e um deles é a religiosidade, atenuaria e a pessoa conseguiria gerenciar melhor o problema que está na frente dela”, informa o cardiologista. [...]

A oração, a fé podem ajudar mesmo, mas os cardiologistas reforçam que o paciente que tem algum problema de saúde precisa tomar remédio direitinho e fazer exames regularmente, seguindo sempre as orientações médicas.

(
Jornal Hoje)

LOVE


Deus nos deu 2 ouvidos pra ouvir, 2 pernas pra correr, 2 olhos pra ver, 2 mãos pra segurar, 2 pés pra suportar e 1 coração. Por que só 1 coração?

Pra gente encontrar o outro

Testemunho - Jovens encontram a Deus pela internet

Uma história emocionante de como Deus chamou esses dois jovens usando a tecnologia.


Gary Grant se nega a vender produtos de Harry Potter

Gary Grant é cristão e dono de uma grande rede de lojas de brinquedos no Reino Unido. Sua loja tem chamado atenção da mídia local, porque ele se nega a vender produtos do bruxo Harry Potter.

Apesar da reclamação de seus clientes, Grant disse que nunca vendeu, nem venderá qualquer produto dos filmes em seus estabelecimentos e que não se tornará responsável por “atrair crianças ao ocultismo”.

Ao jornal Daily Mail, a cliente Jennifer Gledhill declarou que não gostou da posição da empresa quando chegou à loja com seu filho de oito anos e ficou sabendo que eles não vendiam o Lego do bruxo. “Pedi ajuda ao gerente para encontrar o Lego do Harry Potter e ele disse: ‘Somos uma loja cristã e não queremos ensinar esse mal para as crianças’. Me senti insultada, como se eu estivesse querendo ensinar maldades ao meu filho.”

Grant se defende dizendo que não quer “empurrar” seus valores cristãos para seus clientes, mas não abrirá mão deles para satisfazê-los.

Além dos produtos do bruxo mais famoso do mundo, o dono da Entertainer também não vende produtos do Trolls (personagens com poderes místicos e mágicos) e nem produtos de Halloween.

Fonte:
Gospel Prime



Nota: Harry Potter ajudou a aproximar da bruxaria milhões de crianças em todo o mundo. Praticamente uma geração inteira foi profundamente marcada pelos livros e filmes do personagem. Agora são os brinquedos. E muitos cristãos, ao contrário do dono da Entertainer, também acabaram envolvidos na "pottermania" sem se dar conta das implicações espirituais disso.

Mulheres Adventistas - Vidas Impactadas

Na Igreja Adventista do Sétimo Dia, a exemplo do que ocorre em outras religiões cristãs, as mulheres formam a maior parte dos membros. Isso infelizmente não significa necessariamente que a liderança seja predominantemente feminina ou, ao menos, composta por mais mulheres. Talvez, se fosse, muitas coisas poderiam ser diferentes. E melhores. Mas mesmo com esta discrepância ainda existente, obviamente por conta do preconceito que existe e que ainda faz parte da realidade mundial no que diz respeito ao gênero, as mulheres adventistas têm exercido um importante papel no crescimento das ações adventistas em favor do próximo. 

Gosto de pensar na Igreja Adventista como um instrumento de advertência e ação. Advertência quanto ao tempo e circunstâncias em que vivemos, sobre a necessidade de um reavivamento e uma reforma espirituais urgentes na comunidade eclesiástica e na sociedade, a fim de sobrevivermos aos tempos difíceis em que a indiferença e a falta de amor são comuns. Mas a Igreja também precisa ser ação efetiva impactando quem está ao seu redor. Entendamos que a Igreja nada mais é do que as pessoas que ali se reúnem e formam a congregação.

E é neste segundo aspecto que as mulheres adventistas têm feito uma diferença impressionante no seu contexto. São elas que tomam a frente e agem quebrando o silêncio contra a violência doméstica. Um problema corriqueiro dentro das famílias cristãs, também, e que há apenas poucos anos é enfrentado com seriedade. São as mulheres adventistas que geralmente erguem a bandeira da saúde preventiva, da boa alimentação, do uso dos remédios naturais como preservação do corpo e da mente dados por Deus. E são as mulheres que, em sua ampla maioria, coordenam as ações com crianças e adolescentes e dão oportunidade aos pequenos de realmente se desenvolverem e se prepararem para assumir as funções importantes como adultos fundamentados em valores sólidos, que não se compram e nem se vendem. Não fazem trabalho de futuro, mas de presente.

Sim, são as mulheres adventistas que não se cansam de realizar a difícil jornada do lar aliada à jornada de trabalho. E ainda encontram tempo para estimular todos os demais membros a serem pessoas de uma vida de oração. Elas oram e criam meios de se estimular a oração intercessora por quem não vê mais esperança na vida.

Isso, para mim, é sinônimo de impacto na sociedade. Uma igreja só pode ter força, se estiver conectada com as necessidades alheias e conseguir trabalhar de maneira constante para diminuir este sofrimento e apontar uma solução. Felizmente, os adventistas entenderam que foram chamados para uma missão desta natureza. Mas fatalmente não conseguiriam êxito pleno nesta desafiadora incumbência, se não estivessem amparados pelas mulheres adventistas. Ou melhor, sob coordenação delas.

Deus continue abençoando as mulheres adventistas, inclusive as que possuem suas vidas impactadas pela ação do Espírito Santo e ajudam a impactar outras.
Fonte:Felipe Lemos

Onde você mora?

CASA e LAR


Casa é uma construção de cimento e tijolos
Lar é uma construção de valores e princípios.

Casa é o nosso abrigo da chuva do calor do frio…
Lar é o abrigo do medo da dor e da solidão.

Numa casa criamos e alimentamos problemas.
Um Lar é o centro de resolução de problemas.

Numa casa moram pessoas que mal se cumprimentam e se suportam.
Num Lar vivem companheiros que mesmo na divergência, se apoiam
E nas lutas se solidarizam.

Casa é local de dissensões, conflitos, discórdia…
No lar as dissensões, os conflitos, existindo, servirão para esclarecer e engrandecer.
Numa casa desdenha-se dos nossos valores.
No lar sonhamos juntos.

Numa casa há azedume e destrato.
Num lar sempre há lugar para a alegria.

Numa casa nascem muitas lágrimas.
Num lar plantam-se sorrisos.

A casa é um nó que oprime, sufoca…
O lar é um ninho que aconchega.

Se você ainda mora em uma casa, Te convido a transformá-la, com urgência, em um lar…

E que JESUS seja sempre seu convidadoEspecial!


(inspirada numa reflexão de Alba Magalhães David)

Universidade católica assimila cultura evolucionista e subestima a Palavra de Deus

Um passo importante em direção à fundação de uma linguagem comum entre ciência, filosofia e teologia, que permita a superação dos conflitos do passado e o incentivo à futura pesquisa em todas as áreas. Esse é o resultado de uma Conferência realizada pela Pontifícia Universidade Gregoriana em 2009, publicado recentemente, e apresentado nessa mesma instituição.
A Conferência intitula-se “Evolução Biológica: fatos e teoria. Uma visão crítica a 150 anos da Origem das Espécies” em referência à teoria da evolução do naturalista inglês Charles Darwin, uma das mais importantes da história da ciência, na qual é construída a base da biologia moderna. A primeira edição data de 1859 e a última e sexta edição é de 1872.
A Conferência e a publicação dos resultados dos trabalhos contam com o apoio do Pontifício Conselho da Cultura, cujo presidente, Cardeal Gianfranco Ravasi, disse que “a Igreja nunca condenou Charles Darwin, nem a sua teoria da evolução. Contudo, muitas pessoas ainda pensam o contrário”.
São mais de 700 páginas que trazem os estudos e conclusões resultantes do Encontro de 2009 sobre a evolução biológica. “É preciso promover a cultura para chegar-se àquela visão unitária e orgânica do saber que auspiciava João Paulo II na Encíclica Fides et Ratio”, destacou o cardeal.
No prefácio dessa publicação, os curadores – professores da área – evidenciam o quão ilusório é o conflito entre ciência e teologia, idéia que, nessa publicação, fica clara. O texto procura demonstrar como, na prática, as duas disciplinas – com a mediação da filosofia – podem se enriquecer se trabalharem juntas, respeitando a distinção das respectivas metodologias e mantendo cada qual a sua autonomia.
Ainda na apresentação do volume, professores de filosofia das ciências da Pontifícia Universidade Gregoriana comentam os motivos pelos quais a Igreja Católica deve aprofundar sua consciência científica para não cair em uma marginalização cultural.
“A consciência científica não é simplesmente uma consciência de série B, mas sim uma consciência da verdade, no sentido mais pleno dessa palavra. Filosofia sem ciência corre risco de escorregar para o estetismo do relativismo. “Subestimar o que a ciência tem para nos dizer sobre o nosso universo seria um grave erro”, destacou o texto.

Fonte:
Canção Nova


Nota: É incrível como a ICAR pisa a Palavra de Deus, trocando-a por fábulas engenhosamente inventadas! Mais do que nunca devemos pregar a mensagem: "Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição. Seguiu-se a estes outro anjo, o terceiro, dizendo, em grande voz: Se alguém adora a besta e a sua imagem e recebe a sua marca na fronte ou sobre a mão, também esse beberá do vinho da cólera de Deus, preparado, sem mistura, do cálice da sua ira, e será atormentado com fogo e enxofre, diante dos santos anjos e na presença do Cordeiro." Ap. 14:6-10

Idolatria dos líderes nas igrejas neo-pentecostais

Um dia desses eu estava conversando com alguns amigos, e surgiu um comentário bem interessante sobre o comportamento de alguns líderes pentecostais aqui do Brasil.

Existem 3 grandes denominações que se enquadram no segmentos chamado de "neo-pentecostalismo", o qual engloba estas igrejas surgidas após a década de 1970 e que dão demasiado valor à prosperidade material (Teologia da Prosperidade) e à expulsão de espíritos malígnos, considerados os causadores de todas as mazelas da humanidade.

É curioso observar que estas 3 igrejas têm os nomes quase que idênticos, utilizando-se apenas de sinônimos:

Igreja Universal do Reino de Deus

Igreja Internacional da Graça de DeusIgreja Mundial do Poder de Deus

Talvez seja porque as 2 últimas são frutos de dissidências entre líderes da primeira...

Mas o comentário que surgiu no diálogo que mencionei acima foi referente à maneira como os pastores e "bispos" procuram "imitar" os trejeitos, modo de falar, de pregar, etc., dos líderes maiores de tais denominações, chegando até a criar alguns "modismos" no vestuário.

Em uma das igrejas, o dirigente máximo tem o hábito de falar de forma "esganiçada", "rouca", com um sotaque bastante "carregado" no "carioquês". Os seus "pastores auxilares" e "bispos" fazem o mesmo. É impressionante! Até os que nasceram e moram no Nordeste procuram imitiar o sotaque e a maneira de falar do seu "chefe"...rsrs

Outro detalhe lembrado sobre este "bispo" é o fato de que ele prega com as mãos arqueadas e os dedos rígidos e estendidos (como se estivesse segurando uma bola de Handball). Não dá outra: os pastores fazem o mesmo... é só observar na TV.

Em outra denominação, o líder (que prefere não se intitular como "pastor" ou "bispo") tem uma maneira de falar bastante própria, com uma dicção bem peculiar. O seu substituto imediato age da mesma forma, imitando também a entonação e o estilo de oratória do líder maior.

Outro fato curioso com a maneira de imitar seus líderes, é o que acontece na mais nova das 3 denominações acima mencionadas. O "apóstolo" (que se auto-proclamou assim) é idolatrado pelo povo, que "esfrega" (literalmente) lenços, carteiras de trabalho, gravatas, etc., neste ministro, para que a bênção dele "grude" no objeto utilizado.

Fico imaginando este tipo de cena, e comparo com a maneira humilde, simples e discreta com que Jesus e Seus apóstolos (verdadeiros) pregavam ao povo. E olha que era tudo DE GRAÇA, pois Jesus não exigia pagamento algum para que a pessoa recebesse a bênção.

De tudo isso, resta uma constatação:
O povo é muito idolátrico (resquício do romanismo?) e fácil de ser enganado por qualquer "vento de doutrina" que lhe prometa riquesas, mansões, empresas... e com o mínimo de abstinência e renúncia pessoal.


Fonte:Gilson Medeiros

segunda-feira, 30 de maio de 2011

ONU critica o Brasil por permitir ensino religioso em escolas

ONU critica o Brasil por permitir ensino religioso em escolasCentenas de escolas públicas em pelo menos 11 Estados do Brasil não seguem os preceitos do caráter laico do Estado e impõem o ensino religioso, alerta a Organização das Nações Unidas. Em relatório a ser apresentado na semana que vem ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, a situação do Brasil é criticada.
Visite:
Gospel +, Noticias Gospel, Videos Gospel, Musica Gospel
O documento foi preparado pela relatora da ONU para o direito à cultura, Farida Shaheed, que também alerta que intolerância religiosa e racismo “persistem” na sociedade brasileira. A relatora apela por uma posição mais forte por parte do governo para frear ataques realizados por “seguidores de religiões pentecostais” contra praticantes de religiões afro-brasileiras no País. Uma das maiores preocupações é o com o ensino religioso, assunto que pôs Vaticano e governo em descompasso diplomático.

Os Estados citados por Farida, que visitou o País no final do ano passado, são Alagoas, Amapá, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

A relatora diz ter recolhido pedidos para que o material usado em aulas de religião nas escolas públicas seja submetido a uma revisão por especialistas, como no caso de outros materiais de ensino. Além disso, “recursos de um Estado laico não devem ser usados para comprar livros religiosos para escolas”, esclarece.

Para Farida, “deixar o conteúdo de cursos religiosos ser determinado pelo sistema de crença pessoal de professores ou administradores de escolas, usar o ensino religioso como proselitismo, ensino religioso compulsório e excluir religiões de origem africana do curriculum foram relatados como principais preocupações que impedem a implementação efetiva do que é previsto na Constituição”.

Legislação. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação diz que o ensino religioso deve ser oferecido em todas as escolas públicas de ensino fundamental, mas a matrícula é facultativa. A definição do conteúdo é feita pelos Estado e municípios, mas a legislação afirma que o conteúdo deve assegurar o respeito à diversidade cultural religiosa e proíbe qualquer forma de proselitismo.

“Em tese, deveria haver um professor capaz de representar todas as religiões. Mas, como sabemos, é impossível”, explica Roseli Fischmann, da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP). “Além disso, a aula não é tratada efetivamente como facultativa. O arranjo é feito de tal forma que o aluno é obrigado a assistir.”

Roseli explica que o modelo brasileiro é pouco usual nos países em que há total separação entre Estado e religião. “Até Portugal, que no regime de Salazar tornou obrigatório o ensino religioso, aboliu as aulas. Educação religiosa deve ser restrita aos colégios confessionais. Lá, o pai matricula consciente.”

Fonte: Estadão

Testemunho de Aline - Libras e Internet

Constituição húngara é modificada com base no catolicismo e é exemplo para toda Europa




ROMA, domingo, 29 de maio de 2011 (ZENIT.org) - Uma andorinha só não faz verão, mas um Estado Europeu, e não dos menores, cuja constituição é “eurocompatível” e respeita a Carta Europeia dos Direitos Fundamentais e a Declaração Universal dos Direitos do Homem, é um exemplo a ser seguido.

No último 18 de abril, cumprindo-se um compromisso assumido pelo primeiro ministro Viktor Orban, que em abril de 2010 venceu esmagadoramente as eleições com 2/3 da câmara dos deputados, foi modificada a constituição húngara no espírito e na letra. O texto de 1990, adotado logo depois da queda do Muro de Berlim, era considerado liberal demais e ainda influenciado por resquícios comunistas.

O poder foi repartido entre os três partidos principais: O Fidesz, partido de centro-direita, cujos representantes no Parlamento Europeu fazem parte do Partido Popular Europeu; os Socialistas, completamente desacreditados depois da desastrosa gestão do primeiro-ministro Ferenc Gyurcsany, que mentiu sobre as proporções do déficit das contas do Estado, o que o obrigou a pedir ao Fundo Monetário Internacional uma ajuda de 20 bilhões de euros para salvar o país da falência; e o partido Jobbik, de extrema-direita, que tem como objetivo a defesa dos valores e a identidade da Hungria.

A nova constituição proposta pelo primeiro-ministro e pelo Fidesz foi aprovada com 262 votos contra 44 e uma abstenção. O texto foi ratificado pelo Presidente da República Húngara, Pal Schmitt, no último 25 de abril, e entrará em vigor em 1º de janeiro de 2012. Durante o debate, a oposição não fez nenhuma intervenção, o que não a impediu, até agora, de apoiar os opositores desta nova lei fundamental.

As mudanças da constituição:

1- A primeira tem a ver com a referência às raízes cristãs da Hungria. O preâmbulo diz que “a constituição é inscrita na continuidade da Santa Coroa” e recorda “o papel do cristianismo” na “sua história milenar”.

Surpreendem as reações negativas a esse texto, já que, na redação do Tratado Constitucional da União Europeia, todos os países membros aprovaram a referência “à nossa herança cristã”, exceto a França. O pedido europeu, promovido pela Fondation de Service Politique com algum deputado europeu, tinha obtido 1,4 milhão de assinaturas em 2004, sendo apoiado por cerca de 60 associações que representavam 50 milhões de associados. Um recorde na história europeia. Este pedido foi recebido na Comissão sobre Pedidos, mas a Comissão Europeia não lhe deu continuidade, como ocorre quando os pedidos são acolhidos.

A referência às raízes cristãs não é uma questão de opinião, mas uma verdade histórica. É necessário recordar que a nação húngara se organizou a partir do batismo de Santo Estêvão, coroado rei da Hungria. Este é o motivo de a Coroa de Santo Estêvão estar hoje no Parlamento húngaro, porque lhe dá legitimidade para fazer as leis.

2- A segunda modificação tem a ver com a união entre duas pessoas: “A Coroa protege o matrimônio, considerado como a união natural entre um homem e uma mulher e como fundamento da família”.

Esta referência retoma, em seu espírito, a Declaração Universal dos Direitos do Homem, que, apesar das pressões para introduzir a união entre duas pessoas do mesmo sexo, é um texto de referência para todos os Estados. A nova constituição húngara não questiona a união entre duas pessoas do mesmo sexo, mas não a considera equivalente ao matrimônio.

3- A terceira modificação tem a ver com a vida de todos os seres humanos antes do nascimento: “Desde o momento da concepção, a vida merece proteção como um direito humano fundamental” e “a vida e a dignidade são invioláveis”, retomando em certo modo o primeiro artigo da Carta Europeia de Direitos Fundamentais: “A dignidade humana é inviolável. Deve ser respeitada e protegida”.

Houve pessoas indignadas com esta volta à ordem moral. Devemos deduzir que a ordem humana é uma ordem amoral? A nova constituição húngara é “euroincompatível”? Os opositores se questionam. Se não fosse, então quer dizer que todos os textos de referência são letra morta, considerando que a União Europeia se ergueu a partir do respeito aos direitos do homem, cuja universalidade é expressa na Declaração dos Direitos do Homem de 1948, reconhecida como patrimônio comum da humanidade, e não sobre direitos abstratos e subjetivos reivindicados sem referência a um patrimônio comum.

É verdade que a decisão pertence aos legisladores. Mas eles votam em nosso nome. Calar seria uma irresponsabilidade da nossa parte. As leis afetam a todos. É nosso dever reunir os nossos deputados e senadores para lhes dizer que respeitamos os nossos princípios fundamentais.

Fonte:
Zenit

Nota: A união entre a Igreja e o Estado está se consolidando. Em breve, este exemplo será seguido e intensificado por toda a Europa e, quando o Estados Unidos estender definitivamente seu braço sobre o abismo, estará formada a imagem da besta. Uma união incrível entre o protestantismo apostatado, catolicismo e o Estado.

Adventistas Liberais

Por melhores que fossem suas intenções primárias, fariseus se vulgarizaram como indivíduos hipócritas. Mais ainda: são o símbolo perpétuo da atitude radicalmente intolerante. Curioso: pouco se fala sobre os saduceus. Uma leitura distraída do Evangelho quase os colocaria em mesmo nível com os fariseus. Não caiamos aqui: são grupos distantes, acérrimos oponentes. Os saduceus representavam o outro extremo, o do liberalismo advindo da amálgama entre religião judaica e cultura helenística. Seu naturalismo negava anjos, milagres, visões e artigos afins.

À semelhança de fariseus, eram igualmente dogmáticos. (E é forçoso que se bata na tecla - outrossim, tornou-se popular a premissa de que somente tradicionalistas tenham seus dogmas; entretanto, ressalto que o liberalismo possui uma dogmática de peculiar dialeto.)

Compensa dizer: Jesus conseguiu desagradar fariseus e saduceus, não por capricho, senão pela insistência de que a religião verdadeira procede da obediência à Revelação. Assim, desacatou as tradições de fariseus enquanto virava as costas às práticas de saduceus.

Em outro momento, tratamos sobre adventistas fanáticos, os quais se identificam com os fariseus em seu zelo inverso (e controverso!). Resta tratar dos saduceus. Verdade é que alguns tentam pôr burqas em Ellen White, quando outros a querem ver trajando minissaia.

O lado saduceu do adventismo talvez seja o espectro (ou Spectrum?) da Teologia Liberal que ronda os círculos evangélicos; talvez se deva à influência midiática; sobretudo, porém, representa falta de avanço na compreensão bíblica. Como adventistas, cremos ser portadores da Verdade Presente. Mas o pacote de Luz, que custou a oração fervorosa dos pioneiros, não nos deu o direito de alardear que "ricos somos e de nada temos falta".

Cada geração enfrenta novos desafios à mensagem cristã. E a recusa (mesmo involuntária) de destrinchar a Luz e enfrentar o repto específico de cada época torna os cristãos uma comunidade acuada, que passa a viver da tradição estagnada. Logo, gerações posteriores de cristãos lutam contra os resquícios extenuados da tradição, a qual não foi traduzida para seu contexto, ou mesmo pouco ou nada desenvolvida. Todavia, ao invés de continuar a pesquisa bíblica e restaurar tudo quanto fosse necessário, esses novos cristãos substituíram a tradição por crenças palatáveis aos padrões de sua época. A base, portanto, deixa de ser bíblica e se inclina servilmente ao zeitgeist (espírito da época). Tal é a gênese do liberalismo teológico em geral, e do liberalismo adventista, em particular.

Ao contrário do adventista fanático, exaltado e carrancudo, o liberal se mostra de outra têmpera: sociável, carismático, aglutinador. Seu pragmatismo oferece a resposta para a liturgia burocratizada e um evangelismo atrativamente contextualizado. Aparentemente, o indivíduo liberal transmite uma normalidade, desfazendo o rótulo que a igreja leva de "homens verdes em torno de uma cruz". Mas precisamos inquirir: não seria essa "normalidade" um conformismo que dilui o adventismo, tornando-o uma versão "coca-cola" da turma de Josef Bates e Hiram Edson? Ou: até que ponto o adventista liberal é adventista? A seguir, verifico três motivos de preocupação com o adventismo liberal (sabendo que certamente haveria outros):

a) Adventistas liberais têm seu testemunho comprometido porque, no fundo, sua visão difere bem pouco da visão daqueles que os rodeiam: como influenciar as pessoas com uma mensagem que se pretende revolucionária, ao mesmo tempo em que, na prática, não revolucionou muito a vida daqueles que a professam? Se não há diferenças significativas entre os hábitos dos cristãos em relação aos dos não-cristãos, para que serve seu cristianismo? A questão se torna ainda mais dramática se elencarmos as exigências do discipulado cristão, entre as quais "negar-se a si mesmo", "tomar sua cruz", estar disposto a "perder sua vida" e sofrer "perseguição" e "injúrias", além de manter a disposição de "servir os outros e não a si mesmo"; confrontadas com tais exigências (e outras), o liberalismo não passa de um bonsai, um reducionismo dessencializador. Se um cristianismo autêntico está comissionado para ser "sal da terra" e "luz do mundo", que papel estaria reservado para ser versão mais insípida e nublada?

b) Adventistas liberais são mais racionalistas: o liberalismo se desenvolve quando não se leva o sobrenatural a sério. Saduceus escolhiam, em seu ceticismo, quais elementos da crença judaica tradicional ainda manteriam como artigo de fé; os cristãos liberais do século XVIII e XIX não acreditavam em milagres (mesmo aqueles descritos na Bíblia). Hoje, os liberais são os mais propensos a tentar conciliar ciência naturalista e teísmo. Por isso, tanta desconfiança da Bíblia e dos Escritos de Ellen White.

Às vezes, a desconfiança é camuflada pela alegação de que as declarações inspiradas fiquem restritas aos seus contextos históricos - o que em geral expressa o desejo de que fiquem presas ao passado!

Uma ressalva: o entendimento do contexto, sem dúvida, é importante; porém, isso se torna um problema quando se deseja entender declarações proféticas somente como fruto de sua época, sem a possibilidade de extração de princípios para reger o povo de Deus em sua conjuntura atual; daí, o profeta se torna meramente um mensageiro silenciado pela História e sua autoridade, na melhor das hipóteses, torna-se "pastoral", como Desmond Ford redefiniu a função de Ellen White.

Quando se rejeita o aspecto normativo da Revelação, coloca-se excessiva confiança na própria razão humana. Em parte, creio que isso explica o porquê de os liberais questionarem tanto as doutrinas da igreja ou proporem entendimentos alternativos delas. Liberais reivindicam liberdade, conquanto, ironicamente, estão enclausurados em conceitos humanos, mutáveis e incertos.

c) Adventistas liberais tendem ao relativismo: com sua ampla tolerância aos espíritos diversos, liberais conseguem representar, nos movimentos nos quais estão inseridos, abertura a ideias e tendências de outros movimentos. Geralmente, os próprios liberais gostam de se definir como "pessoas de mente aberta". Obviamente, o cristianismo (tal qual o adventismo) não deve se isolar das pessoas. Contudo, há o risco de que uma abertura sem critérios permita a infiltração de princípios que contrariem o próprio movimento. Saduceus eram o pedaço mais helenizado de Israel. O cristianismo alemão, em fins da década de 1930 era tão insípido que não tardou em apoiar, grosso modo, o Nazismo. Não é incomum adventistas liberais participarem de eventos gospel ou incorporar ao seu estilo de vida comportamentos contrários ao estilo de vida defendido pela denominação (como sexo pré-marital e frequência a ambientes como cinemas e festas noturnas).

No fundo, o relativismo é a conclusão de que não importa o que creiamos ou como vivamos. O que importa são os sentimentos, o amor a Deus e o amor ao próximo - e o próprio emprego desses termos não é feito senão em termos gerais, suficientes para esvaziar o conteúdo bíblico deles. Afinal, quanto menos contornos e mandamentos (mesmo os bíblicos!), mais o liberal se sente em casa!

Claro que uma incoerência tão marcada leva muitos à conclusão razoável de que, se realmente não há diferença, é melhor abandonar de vez o adventismo...

Da mesma forma que ocorria na época de Jesus, o liberalismo hoje cresce em influência. A missão da igreja enfrenta fortes obstáculos e as características da denominação são extirpadas por compromissos com o atual zeigeist. O antídoto? Conforme um amigo, só duas coisas podem resolver: ou reavivamento ou perseguição. Espero que nos persigam logo!...

Douglas Reis

Exemplo de Fé

domingo, 29 de maio de 2011

Deixe de Ser Derrotado

Toda pessoa está sujeita a fracassos em qualquer área da vida. No campo religioso, é expressivo o contingente de “cristãos” malsucedidos.

Muitos adventistas sentem, diariamente, o gosto amargo de tentativas malogradas. Mesmo depois de anos e anos nesse caminho, alguns concluem que deram apenas alguns passos. Enxergam o horizonte do ideal cristão, mas nunca se aproximam dele. Não entendem o significado das seguintes palavras do apóstolo Paulo: “Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus” (Fp 3:13, 14).

Quero citar alguns exemplos de adventistas derrotados. Eles estão em todos os lugares e espero que você não seja um deles. Quanto a mim, prefiro que Deus continue agindo com muita paciência e misericórdia.

1. Procrastinador. Tem boas intenções, mas nunca realiza seus sonhos. Toma decisões, mas adia o momento de executá-las. Por isso, é um colecionador de derrotas. A procrastinação transforma em cinzas muitos planos maravilhosos. É uma pedra no meio do caminho.

2. Adventício. Aparece e desaparece misteriosamente. É como certas raízes: ora estão sob a superfície do solo, ora sobre ele. Esse tipo de membro só aparece na igreja quando há eventos interessantes. É movido pela curiosidade. Ignora o conselho bíblico: “Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns” (Hb 10:25).

3. Autossuficiente. É arrogante e cheio de si, mas nunca da graça divina. Age como a galinha: ao botar um ovo, faz grande estardalhaço como se tivesse depositado no ninho um milhão de ovos. Assemelha-se ao pavão, sempre com o peito estufado e penas volumosas. Na vida espiritual, considera-se o padrão a ser imitado. Pior: não reconhece seus defeitos. Não aceita conselhos, pois se vê como obra acabada. Contudo, é uma pessoa oca, vazia e superficial.

É difícil conviver com esse tipo de adventista. Tudo o que ele faz visa a seu engrandecimento pessoal. A única saída para ele é reconhecer e aceitar o poder do alto: “A Minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza” (2Co 12:9).

4. Azedo. Está sempre a reclamar. Sua vida se parece com um muro de lamentações. As pessoas o evitam, a não ser os que gostam de limonada sem adoçante. Quando eles se juntam, o céu fica nublado e o ar, contaminado de crítica e queixume. Para a maioria das pessoas, esse tipo de adventista é intragável, mas o cristão amadurecido pratica o conselho paulino: “Rogo-vos, pois, eu, o prisioneiro no Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” (Ef 4:1, 2).

5. Condescendente. Para esse, tudo vale. Ele joga para escanteio as normas da igreja, achando que tudo é relativo. Na verdade, esse comportamento é fruto do espírito pós-moderno de nosso tempo, que desconhece os imutáveis princípios bíblicos. Esse tipo de adventista afrouxa os valores, exercendo influência permissiva no âmbito das práticas cristãs. Gosta de dizer: “Tudo o que me dá prazer e satisfação é bom.” Isso ocorre em todas as áreas: música, vestuário, alimentação, entretenimento, estilo de vida, etc. O efeito desse modo de pensar e agir se propaga com muita facilidade. É difícil segurar essa onda.

Conclusão. A estrada do fracasso passa por essas estações, e o caminhante para naquela que lhe convém. Já a senda do cristão vitorioso passa pelas estações da perseverança (Ap 14:12), comunhão com Deus (Hb 10:25), senso de indignidade (Lc 18:13), espírito alegre (1Ts 5:16) e zelo (Tt 2:14; Ap 3:19).

O cristão vitorioso é perseverante, não confia em si mesmo, é amistoso, alegra-se nas provações e respeita os marcos do caminho.



Texto de autoria de Rubens
Lessa

Maravilhosa Graça

É pecado pintar as unhas?

 
Existem na Bíblia alguns princípios que devem nortear a vida do cristão. Infelizmente muitos costumes do mundo têm adentrado na igreja e isso já havia sido predito por Paulo quando disse: “nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas, avarentos, jactanciosos, arrogantes, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, irreverentes, desafeiçoados, implacáveis, caluniadores, sem domínio de si, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, enfatuados, mais amigos dos prazeres que amigos de Deus, tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2 Timóteo 3:1-5).


O cristão deve ter a Bíblia como seu padrão normativo de fé e conduta e o primeiro princípio está no seguinte verso:

(1) “Portanto, quando vocês comem, ou bebem, ou fazem qualquer outra coisa, façam tudo para a glória de Deus” (1 Coríntios 10:31). Tudo deve ser feito para honrar o nome de Deus, quer seja com o vestuário, com o trabalho, dinheiro, passatempo, tudo para honrar Àquele que nos criou e com o Seu precioso sangue nos comprou!

O segundo princípio tem a ver com a “modéstia” e o “bom senso.”

(2) “Da mesma sorte, que as mulheres, em traje decente, se ataviem com modéstia e bom senso, não com cabeleira frisada e com ouro, ou pérolas, ou vestuário dispendioso, porém com boas obras (como é próprio às mulheres que professam ser piedosas)” (1 Timóteo 2:9-10). “Não seja o adorno da esposa o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro, aparato de vestuário; seja, porém, o interior do coração, unido ao incorruptível traje de um espírito manso e tranqüilo, que é de grande valor diante de Deus”(1 Pedro 3:3-4).

Nota-se que a modéstia não é sinônimo de desleixo ou falta de cuidado. O texto bíblico aponta para a extravagância. Como classificaríamos a extravagância ou indecência? Alguma coisa dispendiosa, talvez algo que destoe, que mostre as partes íntimas, que desperte o apetite sexual do outro, etc.

No terceiro princípio, Cristo nos instrui que não devemos nos pôr como (3)“tropeço ou escândalo ao nosso irmão” (Romanos 14:13). Devemos nos abster (4)“de toda forma (ou aparência) de mal” (1 Tessalonicenses 5:22). Portanto, modéstia significa pureza, beleza em todos os aspectos que condizem com os princípios cristãos; isso envolve saúde física que proporcionará uma melhor aparência (assim, fazer exercícios físicos e alimentar-se corretamente é muito importante), envolve a bondade, a beleza de um sorriso simpático e alegre, uma conduta nobre e elevada; tudo isso dignifica e exalta o Criador.

Neste momento você pode estar perguntando novamente; “mas então... pintar as unhas é pecado?” Um cristão não pode servir de consciência para ninguém, mas deve apontar princípios bíblicos que norteiem a vida de quem possa estar com dúvida. O texto de Oséias 2:13 usa como ilustração a figura de uma mulher toda adornada e enfeitada para correr “atrás de seus amantes, mas de Mim se esqueceu, diz o Senhor.” Perceba que esta linguagem figurativa é forte! O quinto princípio é visto por mais um texto de Paulo:

(5) “Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele” (Romanos 12:2). Entende-se que o cristão deve buscar conhecer a vontade de Deus através da renovação da mente, e isso acontece quando o indivíduo se relaciona com o Criador.

Conclusão: Entendo que há cosméticos que auxiliarão a manter uma boa aparência como xampu, creme hidratante, protetor solar, ou um tonalizante para a pele com proteção UV, e também uma base para as unhas que, além de deixá-las mais bonitas, também as protegerá deixando-as mais vigorosas. Vejo problema com a falta de “modéstia” e “bom senso.” Tendo em vista os princípios listados acima, é importante cultivarmos bons hábitos de vida que resultarão em saúde, beleza física e vitalidade. Devemos buscar aquilo que seja o mais natural possível, sem “extravagâncias”, ou seja, mantendo a beleza com simplicidade e naturalidade. Particularmente não aprecio unhas coloridas. Acho muito artificial, realça mais a sensualidade do que a feminilidade, contrariando assim os valores bíblicos! Contudo, ser cristão não significa trajar-se como no século XIX! Devemos representar muito bem Aquele que nos comprou com Seu precioso sangue. Isso exige cuidados especiais com nossa aparência.

Forte abraço, e que Deus lhe abençoe!
Pr. Frederico Branco

Os limites de Satanás

Para você, que tamanho tem o diabo? É ele tão grande como Deus? Seja honesto consigo mesmo. Nos assuntos cotidianos da vida, no âmago do problema, quem lhe parece ter mais poder? Se você for como a maioria das pessoas que conheço — incluindo a maioria dos cristãos — você dirá com o intelecto, e até com o coração, que Deus é maior que o diabo. Mas as suas ações, e aquela sensação na boca do estômago, alinham-se com o seu intelecto e com o coração?

A maioria das pessoas que conheço dá ao diabo muito mais crédito do que lhe é devido. Realmente elas não entendem o relacionamento que há entre Deus e o diabo. Elas clamam: "Não sou páreo para o diabo. Ele é grande demais para mim. É fortíssimo. É por demais poderoso! Ele é muito . . . muito . . . muito . . . muito ..."

Claro, isso é verdade se você não é crente no Senhor Jesus Cristo. Se ainda vive em seus pecados e nunca experimentou o perdão de Jesus em sua vida, então está combatendo um inimigo maior do que você.

Se, porém, você é crente no Senhor Jesus Cristo, eis o que minha Bíblia diz acerca de sua situação: "Maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (1 João 4:4). Quando aplica¬mos em nós essa verdade, podemos dizer confiantes: Aquele que está em mim (Jesus Cristo) é maior do que aquele que está no mundo (o diabo).

Seu Inimigo é Limitado

Deus e o diabo não se acham em planos iguais tentando disputar pela força o domínio sobre sua alma. Muitas pessoas imaginam que Deus está de um lado e o diabo do outro, enquanto elas mesmas estão em algum ponto no meio, sendo puxadas em uma direção ou na outra. De modo geral elas retratam o campo de esportes como plano. Mas esse não é, absolutamente, o caso.

Deus é onipresente. Ele está em toda parte ao mesmo tempo, enquanto o diabo é limitado no tempo e no espaço.

Deus também é onipotente; ele faz tudo o que desejar fazer. O diabo, porém, não é todo-poderoso. Ele deve operar segundo as regras estabelecidas para ele por Alguém que tem todas as coisas sob seu controle. O diabo só pode operar dentro dos parâmetros que o corpo de Cristo lhe dá.

É de suma importância que você entenda esse ponto. O diabo só tem oportunidade de operar onde você lhe permita que ele o faça. Por isso o apóstolo Paulo disse: "e não deis lugar ao diabo" (Efésios 4:27). Em outras palavras: "Não ofereça ao diabo nenhum espaço em sua vida. Não pendure uma placa "aluga-se" em nenhuma área de sua vida." Se você o fizer, ele se apossará desse território.

Quando você tem em sua vida o poder de Deus, quando Jesus está governando e reinando no trono do seu coração, então aquele que está em você é maior do que aquele que está no mundo. Há, na realidade, pelo menos sete coisas que o diabo não pode fazer.

O diabo não pode invadir o sangue de Jesus.

O diabo não pode causar-lhe dano se você vestir toda a armadura de Deus diariamente, e reivindicar a autoridade que você tem em Jesus Cristo.

O diabo não pode ler a sua mente.

O diabo não irá embora, a menos que você o expulse.

Satanás não pode impedir que a montanha de suas dificuldades se mova, se você semear a semente da fé e falar a essa montanha.

O diabo não pode impedir que se cumpram na terra os propósitos supremos de Deus.

O diabo não pode confessar que Jesus Cristo veio em carne ou que Jesus Cristo é Senhor.

Fonte:Leandro Amaral

O Amor Seja Sem Hipocrisia

Mais americanos estão orando por saúde


Em relação ao ano passado, os americanos ficaram mais religiosos, pelo menos no que diz respeito à saúde. Segundo um novo estudo, durante a última década, a porcentagem dos americanos que dizem que [oram] pela sua saúde aumentou 36%. Os pesquisadores dizem que a oração aumentou entre as pessoas com boa renda e acesso aos cuidados médicos. Isso significa que as pessoas não estão trocando seguro de saúde pela oração; elas provavelmente utilizam a [oração] como um complemento e não como um substituto. Estudos anteriores sugerem que a oração pode melhorar a percepção da saúde física e mental e serve como um amortecedor ou protetor contra a depressão, ansiedade e estresse. Depois do ataque de 11 de setembro, houve um aumento na frequência religiosa dos Estados Unidos. A maior participação em atividades religiosas após essa data pode explicar em parte o aumento da oração pela saúde.

Segundo os pesquisadores, tem havido uma série de mudanças no mundo nos últimos 15 anos. Embora a participação em atividades religiosas públicas não tenha mantido o nível alto logo após 11 de setembro, parece que as pessoas continuam a participar de atividades religiosas particulares. [...]

(
Hypescience)

Nota: Embora não seja Deus o causador das tragédias, Ele usa as consequências delas para chamar a atenção das pessoas para as realidades eternas. Este mundo está no fim e o Senhor tem feito de tudo (até correndo o risco de ser mal compreendido) para salvar os que atendem ao Seu chamado.
Fonte:Criacionismo

sábado, 28 de maio de 2011

Da Servidão Moderna

A servidão moderna é uma escravidão voluntária, consentida pela multidão de escravos que se arrastam pela face da terra. Eles mesmos compram as mercadorias que os escravizam cada vez mais. Eles mesmos procuram um trabalho cada vez mais alienante que lhes é dado, se demonstram estar suficientemente domados. Eles mesmos escolhem os mestres a quem deverão servir. Para que esta tragédia absurda possa ter lugar, foi necessário tirar desta classe a consciência de sua exploração e de sua alienação. Aí está a estranha modernidade da nossa época. Contrariamente aos escravos da antiguidade, aos servos da Idade média e aos operários das primeiras revoluções industriais, estamos hoje em dia frente a uma classe totalmente escravizada, só que não sabe, ou melhor, não quer saber. Eles ignoram o que deveria ser a única e legítima reação dos explorados. Aceitam sem discutir a vida lamentável que se planejou para eles. A renúncia e a resignação são a fonte de sua desgraça."

Dormir pouco ou demais faz mal

 
Dormir menos de seis horas por noite pode ser mortal. Essa é a conclusão de pesquisadores italianos que dizem ter encontrado "evidências inequívocas" da ligação entre a privação do sono e a morte prematura. Para a pesquisa, foram analisados 16 estudos envolvendo cerca de 1,5 milhão de pessoas. De acordo com o levantamento, coordenado pela Universidade de Warwick e pela Universidade de Medicina Federico II, quem dorme menos de seis horas por noite tem 12% mais chance de morrer antes dos 65 anos do que aqueles que dormem entre seis e oito horas. Estudos anteriores já mostravam que a privação do sono estava associada a doenças cardíacas, pressão alta, obesidade, diabetes tipo 2 e colesterol alto.

Os cientistas italianos concluíram, também, que dormir demais pode ser ainda mais perigoso. Segundo eles, aqueles que dormem mais de nove horas por noite apresentam 30% mais chances de morrer cedo. A novidade, publicada nesta quarta-feira na revista especializada Sleep, contradiz outro estudo publicado na semana passada que sugeria que quem dormir 10 horas ou mais aumentavam as chances de chegar aos 100 anos.

Francesco Cappucio, coordenador da pesquisa, discorda: "Assim como dormir pouco pode representar uma saúde debilitada, dormir muito também pode significar alguma fraqueza". Segundo ele, muitas horas de sono podem estar ligadas à depressão e a baixos níveis de atividade física. Alguns tipo de câncer também podem estar associados ao excesso de sono, diz o pesquisador. "Dormir de seis a oito horas por noite é o ideal para a saúde. A duração do sono deve ser encarado como um fator comportamental de risco", alerta.

(
Veja)

Arroz branco favorece aparecimento de diabetes

Consumir arroz branco frequentemente favorece o aparecimento do diabetes tipo 2, enquanto que o risco de ter a doença é reduzido com o consumo de arroz integral, revela um estudo americano publicado nesta segunda-feira. Cientistas da Escola de Saúde Pública de Harvard acompanharam o consumo de arroz branco e integral por 157.463 mulheres e 39.765 homens, que foram seguidos em três estudos diferentes durante 14 a 20 anos. O diabetes tipo 2, insulino-dependente, se manifesta em geral na idade adulta. Há quase 24 milhões de diabéticos nos Estados Unidos (8% da população). Os cientistas de Harvard descobriram que as pessoas que consumiam arroz branco cinco vezes por semana tinham 17% mais chances de desenvolver diabetes tipo 2 que aqueles que o comiam uma vez por semana apenas. "Nós acreditamos que substituir o arroz branco e outros grãos refinados por grãos integrais, como o arroz integral, ajuda a reduzir o risco de diabetes tipo 2", disse o autor do estudo, Qi Sun, da Escola de Saúde Pública de Harvard. "Há séculos o arroz é um alimento de base nos países asiáticos", destacaram os cientistas. "Mas desde o século XX, os progressos feitos nas tecnologias do tratamento do cereal possibilitaram uma produção em massa de cereais refinados. Durante este processo, a casca do grão, assim como as partes intactas do germen, são retiradas para produzir arroz branco que, de fato, consiste em um endospermo cheio de amido", afirmam os autores.

Mais de 70% do arroz consumido nos Estados Unidos é arroz branco.

O estudo foi publicado nos Archives of Internal Medicine.

(
Ciência e Saúde)

Nota: Há um século, Ellen White escreveu: "Se queremos ter boa saúde, precisamos ter especial cuidado da saúde que Deus nos concedeu, negar o apetite nocivo, comer menos alimentos refinados, ingerir alimentos integrais, isentos de gordura. Então, quando vos assentais à mesa, para comer, podeis pedir sinceramente a bênção de Deus sobre o alimento, e obter força de alimentos integrais e saudáveis. Deus terá prazer em abençoá-los generosamente, e eles serão um benefício para quem os ingere" (Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 274).
 
Fonte:Literalmente Verdade

Download do Livro A Grande Esperança


Projeto Missionário da Igreja para 2012. Clique na capa para download do pdf.

O Culto Musical Satânico Antes do Fim da Graça




Fonte:Sétimo Dia

Criacionismo:Formigas usam sistema de GPS

[formiga.jpg]


O Global Positioning System, mais conhecido pela sigla GPS, veio para ajudar as pessoas a não se perder mais. Enquanto trafega pelas ruas de uma cidade, o motorista é orientado por uma voz a seguir em frente, virar à esquerda ou à direita, etc. É, sem dúvida, uma grande invenção. Você já pensou em como certos animais conseguem se orientar perfeitamente, mesmo sem ter um GPS? Mas, será que não têm mesmo?

Pesquisadores descobriram que certas formigas têm minúsculos imãs nas antenas, e isso pode explicar por que esses pequenos insetos parecem sempre saber para onde estão indo. Esses imãs podem fazer parte de um avançado sistema de GPS.

O GPS criado pelo ser humano consome energia e recebe informações de satélites. Já o GPS das formigas pesa quase nada, requer pouca energia para funcionar e não causa dano ao meio ambiente. A pesquisadora Jandira Ferreira de Oliveira, da Universidade Técnica de Munique e do Centro Brasileiro de Pesquisa Física, explica que essas formigas incorporam minerais do solo assim que encostam nele. A equipe da pesquisadora encontrou na antena dos insetos grãos ultrafinos de cristais magnéticos. Essas partículas são como um tipo de “agulha de compasso biológico” que guia o GPS. Segundo Jandira, nosso planeta é magnetizado e as formigas percebem esse magnetismo graças ao sensor nas antenas; depois elas traduzem essa informação e a enviam para o cérebro.

Aproveitando o conselho de Salomão com respeito às formigas (Provérbios 6:6), podemos aprender também que é necessário estar conectados com um sistema de GPS para não nos perdermos pelo caminho. E nosso maior “GPS” é o mesmo Criador das pequenas e maravilhosas formigas.

Michelson Borges

Acordemos... Já É Tarde!


(Pastor Paulo R. Barbosa)

"Prepara-te, ó Israel, para te encontrares com o teu Deus" (Amós 4:12)

Conta-se a história de um velho fazendeiro cujo relógio carrilhão, herdado do avô, ficou maluco e, certo dia, bateu quatorze vezes à meia-noite. Ele deu um salto da cama e disse: "Acorde Nely, é mais tarde do que qualquer tempo anterior!" Podemos dizer, com segurança, que é mais tarde do que podemos imaginar. Estamos vivendo os últimos momentos dos últimos tempos.

E se estamos vivendo os tempos finais, que temos feito para nos preparar para o grande dia em que estaremos diante de Deus? Temos procurado colocar nossas vidas diante do Senhor, obedecendo à Sua Palavra, deixando que Ele guie nossos passos e nos conduza pelo caminho da salvação ou nos mostramos indiferentes, descuidados, alheios a tudo que é espiritual?

A igreja de Cristo -- nós -- precisa cumprir o seu papel no mundo em que vive. Fomos chamados para brilhar e iluminar os ambientes; fomos convocados para anunciar o Evangelho; fomos separados para mostrar aos perdidos o caminho dos Céus; fomos enviados para motivar os pecadores a buscar uma vida de santidade.

Os tempos estão se findando. Não podemos ignorar essa realidade. Os sinais bíblicos estão se cumprindo e, se desejamos viver para sempre com Deus, precisamos estar preparados para isso. Se almejamos que todos estejam preparados, precisamos preparar-nos primeiro. Como proclamar uma experiência que não temos? Como estimular alguém se não estamos estimulados? Como falar de salvação se não temos a certeza de estarmos salvos?

É hora de todos acordarem. Nós, cristãos, devemos estar acordados. Já é bem tarde!

Fonte:
Escuro iluminado

Armagedon

Toni Avila -" Ven Santo Espíritu"

Padre Fábio Melo e o Sábado

Testemunho - Fusca da Esperança

Filme o Fazendeiro e Deus

SINOPSE
Africa do Sul - Angus Buchan é um fazendeiro de origem escocesa, muito trabalhador, dedicado à mulher e aos filhos, mas violento diante das contrariedades. Quando a situação em Zâmbia fica perigosa, ele decide mudar-se para KwaZulu Natal e recomeçar do zero. Morando num trailer, com a ajuda de Simeon Bhengu, um zulu que se oferece para o trabalho, a família Buchan luta para instalar-se nesta nova terra. À medida em que as dificuldades se avolumam, Angus mergulha num misto de medo, furia e desespero. Neste momento ele é convidado para uma reunião de agricultores na Igreja Metodista local. Como consequência, em vez de riqueza, o fazendeiro passa a buscar Deus, e encontra a felicidade, a paz e o sucesso."O Fazendeiro e Deus" baseia-se na história real de Angus Buchan, que se tornou um pregador da palavra de Deus ao redor do mundo, enquanto sua família e Simeon Bhengu tocam a bem-sucedida fazenda Shalom, na África do Sul. Angus compara a fé em Deus à cultura de batatas, que permanecem invisíveis até o momento da colheita.

Idioma: Português
Formato: RMVB
Qualidade: DVDrip
Gênero: GospeL
Duração: 116 min
Ano: 2006
Assistir Online AQUI
Fonte:Bíblia e a Ciência

Os 10 mandamentos dos namorados

1º AMAR ao outro como a si mesmo. Se não há um sentimento puro, sincero esqueça.(Ef.5:25)

2º AMAR também é Respeitar as individualidade entre ambos. ( Espiritual, Emocional e Física)Ver (Col 3:19)

3º AMAR é ter responsabilidade pelo outro, pois a Palavra empenhada é aprovada por Deus. (Mt 18:19).

4° AMAR também exige COMPROMISSO, Planos para o Futuro, começa com uma base sólida de namoro.(Tito2:4)

5º AMAR é não NEGLIGENCIAR os Conselhos dos mais experientes, principalmente, Pai e Mãe. (Ef 6:2)

6º AMAR é viver na DEPENDÊNCIA do Espírito, pois o "Discernimento Espiritual" é importante.( Mt 6: 33).

7º AMAR é CEDER quando perceber que há certos momentos de indecisões,aceitar opiniões, refletir. (Tt 3:9)

8º AMAR é saber REMIR O TEMPO, não fique esperando uma década pela decisão do matrimônio.Lembre: Que o tempo é fugaz, portanto decidam-se... (Ef 5:16).

9º AMAR é saber PLANEJAR , não entre em Canoa Furada, antes de Subir ao Altar, ARRUME A SUA VIDA FINANCEIRA - ( Provérbios 13: 01 e 14: 01 ).

10º AMAR É CONFIAR EM DEUS, quando o namoro é preparado por Ele, tenha certeza meu irmão que:TUDO DARÁ CERTO. ( Isaias 49: 23 ).
Fonte:Bíblia e a Ciência

um demônio no piano, um anjo na bateria

Ao olhar para essas duas imagens, alguns dirão que a da esquerda profana um instrumento e que a outra é uma blasfêmia contra a música e a religião. Se estivesse na Terra, Jesus tocaria bateria? Alguns responderão: nunca! Mas, no fundo, não sabemos dizer a resposta. Temos mais certeza em dizer que Ele não poria fogo no piano da igreja e nem se vestiria como no antigo Israel. Ainda existe hoje bastante demonização de instrumentos. Discute-se muito o perfil histórico da bateria. Mas dialogamos sobre sua suposta necessidade?
Eu tinha 18 anos e mais arrogância que talento pra tocar piano. Eu participava de um programa jovem na igreja ali por 1989 e um quarteto ia cantar uma música animada. Vale dizer a quem não era crescidinho no período jurássico que “música animada de quarteto nos anos 80” não tinha nada ver com axé ou funk gospel (mas tinha gente que não gostava assim mesmo).
Durante a música, eu comecei a fazer uma levada típica de roquinho dos anos 50. De repente, um garoto de uns 12 anos de idade disparou até a frente e começou a balançar os quadris como um Elvis kid. Constrangimento de uns, risos de outros. E tudo só com o piano. Sem percussão, sem tambores, sem adufe.
Se fosse somente tocado assim, aquele fiel que no século 19 dizia que o piano era um “instrumento de cabaré” estaria certo. Mas há muito tempo sabemos que pianos não são bichos perigosos. Pianistas, sim.
De volta ao tempo atual. Vou a uma igreja no sábado pela manhã e vejo uma bateria eletrônica montada ao lado do piano. Em 1989, só a ideia de uma bateria dentro da igreja já era considerada profana. Fico sabendo que quem toca aquela bateria é alguém com menos de 30 anos e que tem o cargo de conselheiro dos jovens naquela igreja. Há 20 anos, anciãos não tocavam nem violão no templo.
Eu o observo tocando nos momentos de louvor do culto. Ele não faz “viradas arrasadoras” nem “levadas extravagantes”. Percebo que o sonoplasta deixa a bateria com volume inferior às vozes e aos outros instrumentos (piano, flauta, contrabaixo, sax).
Tem mais: não vi ninguém em transe nem dançando pelos corredores da igreja. Que coisa, não? A bateria nem parecia um bicho-de-sete-tambores!
Quando eu pergunto, Quem tocou como um “anjo”, o pianista ou o baterista?, a resposta comum é “o baterista”. Como não sabemos a intenção do coração de cada um, nem vemos os anjos com seus instrumentos, podemos no máximo dizer que o baterista tocou de acordo com as expectativas de reverência e santidade que aprendemos a associar aos anjos.
Não se trata de uma sugestão para ficarmos feito impávidos colossos, estáticos e inertes ao tocarmos ou cantarmos. Nem estou recomendando a compra imediata de um kit de tambores. O que quero dizer é que essas duas experiências mostram que o instrumentista é quem dota seu instrumento de correção e adequação por meio da forma de tocá-lo.
A qualidade dos instrumentos e o modo de amplificar o som também influi muito para um resultado satisfatório, para que sejam ouvidos realmente como acompanhamento para o ato de cantar. Além da forma de tocar e sonorizar, há que se ter sensatez e cuidado em perceber as músicas e os momentos dos cultos em que a bateria se encaixa melhor. Há que se ver, inclusive, se ela é realmente necessária!
Anjos tocam bateria? Anjos tocam piano? Se tocam, certamente não o fazem com espírito exibicionista e inadequado. Anjos não tocam bateria? Bem, anjos também não se casam, não recolhem dízimos e ofertas e, ainda que cheguem a compartilhar o louvor das congregações espalhadas pelo globo, adoram a Deus em uma realidade completamente diferente. Antigamente, discutia-se “o sexo dos anjos”. Hoje, discutem a música deles.
Há quem veja o demônio na bateria. Mas dá para perceber mesmo sua real atuação quando a orientação e o diálogo fraternos são trocados pelo bate-boca na internet e pela censura autoritária, em que a Bíblia é manipulada a fim de que a interpretação pessoal prevaleça, em que a civilidade cristã dá lugar à agressividade diabólica.
Fonte:Nota na Pauta